Mario Lino garante que «Ota é a solução possível»

Por a 10 de Maio de 2005

O ministro das Obras Públicas, Mário Lino, salientou esta manhã que a Ota não é a solução ideal para a construção de um novo aeroporto na área metropolitana de Lisboa, mas que é a melhor de entre as propostas existentes.

À margem do discurso de encerramento da primeira sessão das Conferências da Associação de Empresas de Construção e Obras Públicas (AECOPS), o governante comparou uma eventual decisão sobre a localização do novo aeroporto com a compra de uma camisa. «De entre um conjunto de 20 ou 30 camisas, começa por rejeitar uma porque não serve e acaba por ficar com duas ou três, acabando por optar por apenas uma que afinal não é bem o que esperava. O que nós queriamos era ter um aeroporto com capacidade de expansão até 50 ou 60 milhões de passageiros e onde não houvesse problemas ambientais. Pois bem, mas essa opção não existe», afirmou Mário Lino. O ministro garantiu que será conhecida em breve não só a decisão final sobre o novo aeroporto, como a decisão sobre a forma de entrada do TGV na cidade de Lisboa. Sendo um dos sectores pilares para a economia portuguesa, Lino espera que os projectos «ambiciosos» que estão pensados para os próximos anos ajudem a reanimar o mercado das obras públicas, sector onde se tem constatado o decréscimo de investimento por parte do Estado. O ministro das Obras Públicas prometeu, no encerramento dos trabalhos da primeira sessão das Conferências AECOPS, integradas na Tektónica – Feira Internacional de Construção e Obras Públicas, dinamizar o sector das obras públicas com «grandes e urgentes obras públicas.