CML admite estado de excepção na Baixa

Por a 7 de Abril de 2006

02 camara lisboa

Maria José Nogueira Pinto, vereadora da Câmara de Lisboa (CML) e responsável pelo comissariado que vai elaborar um plano de intervenção para a Baixa-Chiado, admitiu a hipótese da criação de um «estado de excepção» para aquela zona da cidade, à semelhança do que aconteceu na zona que deu lugar à Expo’98.

Um estado de excepção que, de acordo com declarações da vereadora à Agência Lusa, pode, tal como na Expo integrar «a Câmara Municipal, o poder central, diversos ministérios, entidades do Porto de Lisboa e empresas públicas».

«Pode ser que tenha de acontecer ou não», disse a veradora, salientando tratar-se de uma situação que dependerá dos contactos com as diversas entidades. Nogueira Pinto falava durante a cerimónia de posse do comissariado para a Baixa-Chiado, uma estrutura aprovada em Março pelo executivo camarário, que deverá apresentar dentro de seis meses um plano de execução e o modelo de financiamento, apesar de, para a vereadora, este trabalho «ultrapassar» o actual mandato.