«PATORREB 2006» alerta para novas estratégias

Por a 7 de Abril de 2006

18 PATORREB

É fundamental implementar uma nova atitude cultural perante o património edificado e urge introduzir no ensino a matéria da patologia e reabilitação dos edifícios. Por outro lado, do ponto de vista estratégico é também necessário adequar a regulamentação técnica à especificidade da reabilitação, flexibilizar o licenciamento municipal, assim como encontrar incentivos financeiros para dar continuidade aos projectos no âmbito desta vertente.

Estas foram algumas das principais conclusões do segundo Encontro sobre Patologia e Reabilitação de Edifícios – PATORREB 2006, que teve lugar recentemente na Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP). Vasco Peixoto de Freitas, presidente da comissão organizadora do PATORREB, avançou ao Construir, em jeito de balanço, que ao nível técnico, da engenharia, «as ideias mais relevantes centraram-se na importância da física das construções e explicação dos problemas, no dimensionamento das soluções e na importância da formalidade estrutural e necessidade de quantificar a durabilidades dos materiais e componentes».

No decorrer do evento foram também vários os congressistas que alertaram para a introdução de novas estratégias, tanto do ponto de vista técnico como financeiro, de forma a dar continuidade não só ao desenvolvimento do site www.patorreb.com (catálogo de patologias), mas também com o objectivo de constituir novos impulsos para a definição de um estratagema claro para o futuro da reabilitação em Portugal.

«O Congresso foi também palco de reflexão sobre a patologia de edifícios, mostrando os últimos avanços em termos de investigação e já na prática, relativamente à matéria em questão», afirmou o responsável pela iniciativa. Considerou-se ainda que a reabilitação é uma área estratégica, que deve não só preocupar-se com as construções históricas e os edifícios antigos, mas também com aqueles que o tempo de utilização exige intervenções de adaptação às exigências actuais. Para além disso, conclui-se que foram construídos centenas de milhares de fogos, nas duas últimas décadas, que nem sempre apresentam o desempenho esperado, o que exige o diagnóstico das patologias observadas e a sua reparação.

O PATORREB 2006 contou com mais de 600 participantes, portugueses e espanhóis. Foram apresentadas 14 palestras e 67 comunicações pelos principais especialistas na área da reabilitação, tais como: Juan Monjo Corrió, presidente da Escola Técnica Superior de Arquitectura de Madrid da Universidade Politécnica de Madrid, José Calavera Ruiz, professor catedrático da Escola Técnica Superior de Engenheiros de Caminhos, Canais e Portos, da Universidade Politécnica de Madrid, Aníbal Costa, da FEUP, Gandão Lopes, do Laboratório Nacional de Engenharia Civil, Fernando Branco, do Instituto Superior Técnico de Lisboa, entre outros.