Obras usam apenas 1% de polímeros

Por a 21 de Abril de 2006

Os polímeros representam apenas um por cento dos materiais utilizados no sector da construção. Esta foi a principal conclusão do Simpósio Internacional sobre Polímeros e Betão –ISPIC 2006, que teve lugar recentemente na Escola de Engenharia da Universidade de Guimarães.

A iniciativa, promovida pelo o departamento de Engenharia Civil da Universidade do Minho, permitiu chamar atenção para esta temática com base nos mais recentes desenvolvimentos técnicos sobre a aplicação e desempenho de revestimento industriais à base de polímeros, durabilidade das reparações, bem como influência das condições climáticas e ambientais.

Segundo Barroso Aguiar, responsável pela comissão organizadora do simpósio, «os polímeros têm um grande impacto no desempenho dos sistemas e dos materiais devido à sua acção nas matrizes cimentícias», acrescentando que combinando de forma apropriada polímeros e materiais de construção clássicos é possível inovar aplicações e sistemas, melhorando o desempenho e a durabilidade.

Consciente de que os polímeros são uma área com futuro, o professor da universidade revelou também que no decorrer do evento foram apresentados vários projectos inovadores no âmbito da temática em questão, relacionados com a microestrutura das argamassas modificadas com polímeros utilizando polímeros em solução ou partículas recicladas, com a caracterização das colagens com polímeros e sua melhoria, durabilidade das colagens sob efeito da humidade e temperatura e utilização de epóxidos para colagem de reforços exteriores e protecção de betões com revestimentos poliméricos.