Technoedif Engenharia aposta no mercado de Angola

Por a 21 de Abril de 2006

A Technoedif Engenharia procura expandir a sua actividade em Angola, onde tem actualmente alguns contratos em curso, estabelecendo como meta um aumento de facturação na ordem dos 30 por cento, até 2010.

A empresa portuguesa, anteriormente designada por Technip Portugal, pode agora procurar o mercado estrangeiro, devido ao processo de Management Buy Out (MBO), decorrido em Fevereiro deste ano, em que a direcção comprou o seu controlo accionista à multinacional francesa Technip.

O processo de internacionalização recai preferencialmente sobre os PALOP e Angola é uma prioridade devido à importância que as petrolíferas assumem na sua economia nacional. Para Joaquim Gomes da Cruz, membro da administração da Technoedif Engenharia, «um dos objectivos é aumentar o volume de negócios em Angola, num prazo de cinco anos, de forma a aumentar em 30% a facturação no mercado europeu e angolano, onde temos um maior número de negócios em vista». O volume de negócios deverá ser abrangente e a mesma fonte explica que «a Technoedif Engenharia procura diversificar e investir em outras actividades, nomeadamente na área industrial em geral, para além do sector do petróleo». Actualmente cerca de dez por cento do seu volume de negócios é obtido fora de Portugal.

Da lista de novos projectos fazem também parte uma nova refinaria Vasco da Gama, investimentos da Repsol no Complexo Petroquímico de Sines, melhoramentos nas Refinarias de Sines e do Porto da Galp Energia e o futuro parque de combustíveis dos Açores na Ilha Terceira, propriedade da Terparque.