Brisa investe 11 milhões de euros em I&D

Por a 4 de Maio de 2006

A Brisa investiu mais de 11 milhões de euros em investigação e desenvolvimento (I&D), ao longo dos últimos cinco anos. Apenas em 2005, a empresa investiu 5,36 milhões de euros neste sector, segundo revelou Jorge Gomes, director de Inovação e Tecnologia da Brisa.

Em declarações à Agência Lusa, a mesma fonte adiantou que o orçamento em I&D da empresa, para este ano, ronda os 2 milhões de euros e que a despesa efectuada representou 0,68 por cento do Valor Acrescentado Bruto (VAB), em 2005. Neste âmbito, o director da Brisa mencionou o projecto de modernização e automatização de todas as praças de portagens das auto-estradas de que a empresa é concessionária, que foi concluído em Novembro do ano passado, num investimento de 20 milhões de euros.

A Brisa desenvolveu um protótipo de máquinas de pagamento automático de portagens, prevendo que estas entrem em fase de teste na portagem de Carcavelos nos próximos dois meses. Também está prevista a adopção de um novo sistema para fotografar veículos em situação de infracção e a criação de um projecto pioneiro a nível internacional, financiado pela União Europeia, que visa produzir moldes para pequenas séries a preços razoáveis.

Para além de dois projectos ambientais, para reaproveitamento de resíduos, a Brisa está a desenvolver identificadores e antenas para Via Verde e a tornar as praças de portagem auto-suficientes em energia através do aproveitamento da energia solar.

Outros projectos incluem a monitorização de obras de arte (pontes e viadutos), através da introdução de sensores dentro do tabuleiro e dos pilares na fase de construção, o que permite detectar em tempo real quaisquer problemas na estrutura; um sistema de alarmes automáticos que gera um alerta em situações anómalas e o pagamento de portagens e parquímetros por telemóvel através de tecnologia Bluetooth.