Mercado imobiliário atenua tendência decrescente

Por a 12 de Junho de 2006

O mercado imobiliário português atenuou a tendência decrescente em 2005, relativamente aos anos anteriores, segundo um estudo da companhia de seguros Genworth Financial. Porém, as conclusões ainda não são suficientes para se falar em recuperação sustentada.

Conclui-se que o número de edifícios novos licenciados e fogos para a habitação concluídos no ano passado representaram uma queda da ordem dos 10 por cento face ao ano anterior.

O mesmo estudo realça que o índice de produção em edifícios do Eurostat, para 2004 e 2005, revela também uma variação anual negativa em Portugal de 4,25 por cento e 4,33 por cento em Espanha. Esta situação opõe-se à do resto da União Europeia, que apresentou um crescimento médio de 1,55 por cento.

A análise da companhia concluiu ainda que o preço médio da habitação em Portugal manteve um ligeiro crescimento no primeiro trimestre de 2006, com um valor médio de 1.225 euros por metro quadrado, o que corresponde a um acréscimo de 2,2 por cento face a igual período do ano anterior.

As zonas de Lisboa e do Algarve são as que detêm os preços médios mais elevados, com 1.409 euros por metro quadrado e 1,481 euros por metro quadrado, respectivamente.

O Norte, pelo contrário, apresenta o preço médio por metro quadrado mais barato, com 1.060 euros por metro quadrado.

A Genworth Financial Mortgage Insurance é uma companhia de seguros que se dedica em exclusivo à comercialização do seguro de crédito hipotecário e tem desde 2005 uma sucursal em Portugal.

Uma segunda edição deste estudo sobre «Indicadores e Situação do Mercado Hipotecário Português» vai ser publicada até ao fim do ano.