Portugueses não aproveitam espaços comuns nos lares

Por a 22 de Setembro de 2006

O grupo Ikea aproveitou o lançamento do novo catálogo 2007 para promover um debate de ideias, e onde apresentou algumas conclusões de como os portugueses vivem o lar

Um terço dos portugueses gostariam de passar mais tempo em casa e os locais que mais habitam é o quarto e a casa de banho, esta a conclusão de um estudo do grupo sueco Ikea. O que, segundo o mesmo estudo, significa que os portugueses não aproveitam os espaços comuns da casa para passarem mais tempo com a família. No entanto, um outro estudo efectuado em 1999, assiná-la que cerca de 84 por cento dos portugueses responderam que o mais importante na vida é a família. Entre algumas personalidades convidadas para a apresentação do estudo, Sofia Costa, decoradora , explicou que as áreas comuns não estão preparadas para serem funcionais, nem promovem o tempo com a família.«Nas casas portuguesas não estão reunidas as condições para um espaço comum agradável», afirmou Sofia Costa. Neste sentido nem «a própria família está integrada dentro da casa», concluiu.

Uma das conclusões dos oradores, foi que as áreas comuns das casas modernas estão cada vez mais reduzidas e por consequência a maneira de se viver as casas também está reduzida. Uma das soluções indicada pela decoradora para as casas desorganizadas, é fazer tudo «com planeamento e simplificação», por forma a criarem-se os espaços comuns onde o convívio seja promovido de forma confortável e agradável.