Adjudicações da Parque Escolar envoltas em polémica

Por a 11 de Fevereiro de 2010

A adjudicação por ajuste directo dos projectistas responsáveis pelos trabalhos de requalificação do parque escolar está a levantar polémica.

Não questionando a legalidade da situação, são vários os arquitectos que colocam em causa a moralidade, a transparência e a pertinência do sistema de encomenda, e a comprovar está uma petição /online/ que nas 72 primeiras horas já contava com 800 signatários, e que solicita que a Assembleia da República reponha a transparência e o rigor na empresa pública.

Artigo integral na edição impressa do Jornal Construir

4 comentários

  1. jose júlio santos

    11 de Fevereiro de 2010 at 19:04

    Felizmente que os Arquitectos tem condições e capacidade de organização para chamar a atenção para a necessidade de rigor nas adjudicações do Parque Escolar. Como seria bom que as centemas ou milhares de Empresas que gostariam de retirar uma pequena migalha desse bolo enorme,o podessem fazer, mas infelizmente e porque deve à partida encontrar-se já todo o bolo repartido por não mais que 1/2 dúzia, nos sectores do mobiliario e do equipamento.
    Como gostaria de ver a tal lista das 37.000 empresas que o Sr.Primeiro ministro diz estarem a beneficia destes investimentos.
    Conheço Empresas que já concorreram dezenas de vezes e são sempre excluídas independentemente de terem melhor preço e cumprirem os cadernos de encargos.

  2. Contra Corrupçao

    11 de Fevereiro de 2010 at 19:27

    Sou socio de um pequeno gabinete de arquitectos e digo que é impossivel aos pequenos poderem concorrer.

    O Dr Gerardo Sampaio pediu-me suborno senao disse que nao tinha hipoteses.
    Uma hipotese devia ter ele de levar 4 socos

  3. António Herodes

    12 de Fevereiro de 2010 at 10:08

    É favor ver a vergonha do diploma que permite todas estas “avarias” que eram expectáveis e que agora se revelam um realidade… Decreto-Lei n.º 34/2009, a 6 de Fevereiro de 2009. Há sempre uma porta aberta e que é deixada pelo estado. Vergonha

  4. António Conde

    12 de Fevereiro de 2010 at 12:26

    Eu achop que deveria ser obrigado por lei em todos os projectos, quer públicos, quer privados, apenas se adjudicarem por concurso a especialidades em causa a gabinetes das especialidades, isto é arquitectura a arquitectos, estruturas e águas à parte civel e instalações especiais a electrotécnicos e AVAC a mecânicos. Isso como forma de dar o real valor a quem de pôr as coisas a funcionar e não são os arquitectos que têm a ver com essa solução. Mais, eu defenbdo que para o parque escolar deveria de haver uma arquitectura tipo para todas elas, com tamanhos diferentes… Abaixo o poder e relevância que os arquitectos querem ter sobre os restantes… Cada macaco no seu galho. E mais como pode um arquitecto dizer que as especialidades custam X se eles são os mais despesistas das especialidades….

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *