CONCRETA abre portas esta terça-feira

Por a 18 de Outubro de 2011

Abrem-se esta terça-feira as portas da edição de 2011 da CONCRETA, Feira Internacional de Construção e Obras Públicas que nesta 25ª edição vai coincidir também com a ENDIEL, o encontro para o desenvolvimento do sector eléctrico e electrónico.

Para o certame, que decorrerá até ao próximo sábado na Exponor, a organização fala na presença de 300 expositores, 50 dos quais internacionais e envolve quase uma vintena de associações sectoriais, agregando os contributos de aproximadamente 30 agentes e entidades, na dinamização de inúmeras actividades paralelas.

O secretário de Estado da Solidariedade e da Segurança Social, Marco António Costa, e o chefe de gabinete do secretário de Estado da Economia e Desenvolvimento Regional, Álvaro Santos, serão dois dos intervenientes da conferência “Promover a Reabilitação Urbana – regenerar as cidades, dinamizar o País”, que, nesta quarta-feira (dia 19), a partir das 10 horas, no Centro de Congressos da EXPONOR, sob dinamização da Confederação Portuguesa da Construção e do Imobiliário (CPCI), decorrerá sob a égide da CONCRETA .

Na próxima quarta-feira, destaque para o debate promovido pela Confederação Portuguesa da Construção e do Imobiliário. A parte da manhã será ocupada para abordar a cidade enquanto pólo de desenvolvimento económico. Na jornada participarão Reis Campos (CPCI), António Saraiva (CIP – Confederação Empresarial de Portugal), João Vieira Lopes (CCP – Confederação do Comércio e Serviços de Portugal), José Pinto Coelho (CTP – Confederação do Turismo Português), José António Barros (AEP – Associação Empresarial de Portugal) e o ex-ministro da Economia Augusto Mateus.

A tarde abrigará duas linhas de exploração. A partir das 14.30, Carlos Matias Ramos (bastonário da Ordem dos Engenheiros), Helena Roseta (vereadora da Habitação da Câmara de Lisboa), Ricardo Valente (Faculdade de Economia do Porto e EGP-UPBS), Pe. José Maia (Fundação Filos) e José Poças Esteves (SaeR – Sociedade de Avaliação de Empresas e Risco) argumentarão em torno da cidade como motor da coesão social, da inovação, da cultura e do conhecimento.

Depois, o debate far-se-á sobre a operacionalização da reabilitação urbana (16.15 horas), com as perspectivas de Rui Moreira (Porto Vivo – SRU), Nuno Vitorino (Fundo JESSICA – Portugal), Celso Ferreira (C. M. de Paredes), João Belo Rodeia (Ordem dos Arquitectos), Paulo Sousa (Caixa Geral de Depósitos) e António Mendes Baptista (IHRU – Instituto da Habitação e Reabilitação Urbana) em cima da mesa.

Bienal desde 2007, a CONCRETA habituou o sector a ser um dínamo de negócios. A exposição recebe desta vez perto de 300 empresas expositoras (50 das quais estrangeiras), envolve quase uma vintena de associações sectoriais e agrega os contributos de aproximadamente 30 agentes e entidades, na dinamização de inúmeras actividades paralelas.

A mostra (que ocupa cinco pavilhões do recinto de feiras) ressurge num momento crítico para a economia nacional, mas a EXPONOR e a realidade empresarial do País vê-a como um balão sectorial de oxigénio. Abrange, afinal de contas, uma fileira responsável por um volume de negócios na ordem dos 32 mil milhões de euros, até muito recentemente.

 

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *