Previsões para o “turnover” do sector alemão de máquinas revistas em alta

Por a 20 de Julho de 2015

PI 16-07-2015 SailerA VDMA, a associação alemã de fabricantes de máquinas e equipamento de construção, reviu em alta as previsões do “turnover” do sector para 2015 em 4%, o que corresponde a 8,7 mil milhões de euros.

Segundo a associação, os fabricantes germânicos estão mais optimistas a meio do ano do que estavam no início, apesar da “incerteza ser o nosso maior obstáculo presentemente”, contrapôs o presidente da VDMA, Johann Sailer.

O comunicado de imprensa da VDMA destaca o crescimento de dois dígitos no “turnover” das empresas associadas ao longo dos cinco primeiros meses do ano. “Apesar de uma ligeira quebra em Maio, os fabricantes de equipamento de construção estão a corrigir em alta as suas previsões para 2015”, destaca.

Por sua vez, os fabricantes alemães de materiais de construção estão mais cépticos e a associação ressalva que muitas empresas estão a cumprir os prazos acordados. Contudo, as encomendas de grande escala são “raras e ferozmente competitivas”. “Assim, esperamos apenas manter os resultados em 2015”, declarou Sailer. Isto equivale, segundo a VDMA, a um “turnover” de 4,3 mil milhões de euros. Com estes valores, o total do “turnover” para todo o sector de equipamentos e máquinas de construção alemão para 2015 cifrar-se-ia nos 13 mil milhões de euros.

Os dados da associação apontam para um “crescimento significativo” da venda de equipamento de construção na Europa e na América do Norte nos primeiros cinco meses do ano, “apesar do facto de o mercado russo se encontrar em queda livre, registando um declínio de cerca de 70%”. “Até França, que já foi o segundo maior mercado de equipamento de construção na Europa, está a sofrer uma viragem negativa com um declínio superior à média de 19%, relativamente ao ano anterior”, sublinha o comunicado.

Neste momento, os principais mercados impulsionadores deste sector são o Reino Unido, a Escandinávia e a Alemanha. “Este ano, os fabricantes esperam uma nova dinâmica na Polónia também”, enquanto que a Europa do Sul está “lentamente a atingir” esta dinâmica de crescimento. Todavia, a VDMA refere que o Velho Continente ainda tem “um processo de recuperação pela frente”.

A associação explica que o mercado norte-americano está “bem” e já atingiu os níveis “pré-crise” de 2006. Desta forma, o sector prevê um crescimento nulo para o próximo ano. Os mercados da Arábia Saudita e dos Emirados Árabes estão, por sua vez, a demonstrar “bom crescimento”, enquanto China, Índia, o Sudeste Asiático e a América Latina, “em particular,” estão aquém das expectativas.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *