Mercedes-Benz implementa sistema hidráulico de tracção nos Arocs

Por a 1 de Outubro de 2015

Arocs HAD Driving Experience 2015 Uma aposta clara na resposta às exigências dos nossos clientes e na resposta às particularidades únicas da indústria da construção, permitindo oferecer as soluções mais adequadas e os melhores serviços para que os nossos clientes sejam bem sucedidos nas suas actividades. É desta forma que os responsáveis da Mercedes-Benz introduzem a implementação do sistema HAD (Hydraulic Auxiliary Drive / Tração Hidráulica Auxiliar) nos modelos Arocs, a gama de pesados da marca alemã voltada para o sector da construção, obras públicas e estaleiros que surge agora optimizada. Embora admitindo que não é uma solução original, os responsáveis da Mercedes-Benz sublinham que o HAD é um sistema que está dois passos à frente do que já existe, desde logo por ser mais potente, mais leve que os sistemas mecânicos de tracção total, por ser mais simples de operar e de reduzida necessidade de manutenção. Num evento realizado em Estugarda e que reuniu jornalistas europeus, a marca alemã desvendou a sua versão do sistema hidráulico de tracção activado com o simples premir de um botão e que se distingue claramente do “tradicional” sistema de tracção integral que habitualmente equipa este tipo de equipamentos para a construção. Desde logo permite uma maior versatilidade dos Arocs face aos seus congéneres, dado que em caso de utilização em estrada pode circular sem tracção total, podendo ser activada apenas em caso de necessidade num contexto mais pesado, seja em estaleiro ou em terrenos com piso escorregadio e declives acentuados. Deste modo, e atendendo à óptica do proprietário deste equipamento, garante não só uma redução efectiva dos consumos como o respeito pelas normas mais exigentes ao nível das emissões .

O funcionamento da unidade hidráulica auxiliar é bastante simples para o condutor, bastando para tal pressionar um simples botão em qualquer altura. Desse modo, o condutor garante que terá respostas a situações adversas imprevistas. O sistema de tracção é, segundo a Mercedes, bastante flexível, dado que permite ao condutor o bloqueio do diferencial independentemente da activação, ou não, da unidade auxiliar. Isso permite que seja possível activar unicamente o bloqueio do diferencial traseiro mais “afectado” pela falta de tracção.

Aos equipamentos que circulam maioritariamente em estrada e aos que dificilmente circulam sem ser em terrenos pesados há que acrescentar as viaturas mais dedicadas à área da construção, que tanto podem ser usadas num contexto de estaleiro, de pedreira, entre outros, como no transporte de materiais ao local da obra. A utilização do equipamento obriga, assim, a acautelar um conjunto de características que se adequem ao tipo de actividade do veículo, nomeadamente a tracção. A questão da carga útil destes veículos é primordial para os seus motoristas, além naturalmente da capacidade de tracção num contexto de carga e descarga. Mais ainda se o piso se encontrar em condições particularmente adversas ou se a inclinação do terreno for particularmente acentuada. Segundo a Mercedes-Benz, a maior parte destes veículos acumulam a maioria dos seus quilómetros na estrada, mas sem uma excelente aderência, não conseguem fazer o seu trabalho. Isto é especialmente verdadeiro quando o veículo é utilizado também no Inverno para manutenção de estradas durante os meses mais frios. E depois há as regiões com fortes nevões ou áreas com estradas precárias. Para todos estes usos que requerem condições particulares, os camiões Arocs com o sistema HAD são os mais adequados, segundo a Mercedes-Benz.

Segundo a Mercedes, o sistema HAD distingue-se desde logo pelo facto de quase passar despercebido ao olhar, o que equivale dizer que se trata de um sistema adicional que está perfeitamente integrado e enquadrado com o motor do Arocs. A principal diferença é mesmo o cubo das rodas do eixo dianteiro e um conjunto de componentes junto do eixo traseiro do lado do passageiro, nomeadamente um reservatório de óleo com um sistema de ventilação e uma válvula, ligadas por linhas de óleo à bomba de pressão que se encontra junto à parte traseira do motor do Arocs. Boa parte do segredo deste sistema HAD está mesmo na potência da bomba que debita mais 112 kW (152 cv), um fluxo de 350 litros de óleo por minuto e uma pressão máxima de até 450 bar. É esta bomba que está ligada por linhas de alta pressão aos blocos hidráulicos das rodas do eixo dianteiro e que permitem que este sistema auxiliar seja activado por solicitação do condutor e de acordo com as suas exigências pontuais. A Mercedes-Benz sublinha ainda o facto de as ligações entre as rodas e o “coração” do sistema HAD serem “independentes” da direcção, garantindo que não há cruzamento de ligações e que o raio de viragem dos Arocs não é afectado com a presença de tubagens adicionais. A marca alemã revela que o “cérebro” do HAD é a unidade de controlo de transmissão que controla não só a bomba como o bloqueio do controlo da válvula e o ventilador. O sistema desenvolvido pela Mercedes-Benz permite que, dependendo da situação de condução, a gestão da força no eixo dianteiro seja feita de forma inteligente, garantindo que o sistema avalia de forma mais eficaz as necessidades de tracção do Arocs. Esse cálculo resulta da informação recolhida por um conjunto de sensores que avaliam não só o ângulo de inclinação em que o veículo se encontra, o peso do veículo assim como as condições de deslizamento. O accionamento do sistema auxiliar pode ser accionado até aos 25 km/h de velocidade, sendo desactivado quando o veículo atinge os 60km/h. Desde que esteja activado e sempre que a velocidade caia abaixo dos 25km/h, o sistema hidráulico auxiliar entra em funcionamento de forma automática. Outra das vantagens anunciada pela marca é o facto de o sistema HAD não interromper a sua função mesmo em caso de passagem de caixa, permitindo assim que a força de tracção auxiliar esteja sempre disponível no eixo dianteiro.

O Hydraulic Auxiliary Drive está disponível nos modelos Arocs, Actros e Antos nas versões 4×2, 6×2 com eixo de arraste e 6×4, estes dois últimos com suspensão pneumática nos eixos traseiros. Em termos de motorizações, o HAD está disponível para as versões de 10,7 litros entre 326 cv e 428 cv e nos modelos de 12,8 litros de 421 cv a 510 cv. A marca acrescenta que estes modelos estão equipados com a transmissão automática Mercedes PowerShift 3 de 12 e 16 velocidades.

No terreno, mais concretamente numa pedreira próxima de Estugarda, foi possível perceber a influência do sistema Hydraulic Auxiliary Drive em vários modelos do Arocs, todos eles carregados com mais de 30 toneladas de materiais. De acordo com os profissionais, o
Hydraulic Auxiliary Drive combina as vantagens da tracção total com os sistemas tradicionais, permitindo assim uma maior versatilidade na condição em estrada e em estaleiro. A força adicional fomentada pelo sistema HAD permitiu superar as dificuldades de uma inclinação na ordem dos 47%, num terreno particularmente adverso dada a chuva que caiu no dia anterior ao evento de apresentação do sistema hidráulico auxiliar aos jornalistas. Activado o HAD e accionado o acelerador por parte do motorista, de forma cautelosa, o sistema reconhece e calcula a tracção adicional necessária. O operador reconhece que o sistema está activo quando surge a indicação na zona central do painel de instrumentos, sendo também notório o funcionamento da bomba de pressão .

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *