Cortiça portuguesa destaca-se no Internacional Fashion Showcase

Por a 22 de Fevereiro de 2016

cortiçaA cortiça portuguesa volta a prender a atenção internacional, desta vez na apresentação da moda portuguesa no International Fashion Showcase (IFS), em Londres. A cortiça foi o material escolhido para a cenografia do espaço do IFS que, desenvolvido com o intuito de dar visibilidade a designers de moda emergentes, assume grande projecção internacional.

Segundo Miguel Flor, curador do projecto Bloom Portugal Fashion, através de uma instalação em cortiça “pretende-se alertar para a criação ecológica e socialmente sustentável”. Num evento com um “forte enfoque na reutilização de materiais, a cortiça não perturba o equilíbrio do ecossistema”, formalizando uma “simbiose entre o natural e o artificial.”

De entre os materiais cedidos pela Corticeira Amorim, que compreendem soluções de aglomerado de cortiça expandido e de aglomerados compósitos – ambos de tonalidade negra e que foram usados no piso – são os revestimentos de parede Wicanders Dekwall que definem a estética deste espaço, de linhas marcadamente vanguardistas. Num trabalho liderado por Miguel Bento, responsável pela cenografia do IFS, a conjugação de variadas linhas de revestimentos de cortiça Wicanders Dekwall resultam numa instalação que conjuga inovação e sofisticação, confirmando-se de novo a enorme versatilidade da cortiça.

No total, a Corticeira Amorim cedeu uma tonelada de cortiça para o International Fashion Showcase, sendo que no que toca especificamente aos revestimentos Wicanders, foram usados cerca de 400 m2 da gama Dekwall, que se caracteriza por um visual de cortiça, num portfolio que contempla linhas mais ou menos tradicionais e cores mais contemporâneas ou mais clássicas, com benefícios claros em termos de conforto, que resultam do isolamento térmico e acústico que confere aos espaços.

Desde 2012, ano em que o Serpentine Gallery Pavilion foi feito em cortiça, num trabalho liderado por Herzog & de Meuron e Ai Weiwei, que a Corticeira Amorim tem estado presente em diversas iniciativas no Reino Unido, como por exemplo no London Design Festival, em que um piso de cortiça foi desenvolvido de raiz para revestir uma das pontes renascentistas do Vitoria & Albert Museum. Em comum, as diferentes iniciativas visam dar notoriedade à cortiça enquanto material de grande potencial para a arquitectura e design de interiores.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *