Bosch Termotecnologia cresce 7% em 2015

Por a 11 de Março de 2016

bosch aveiroA Bosch anunciou que a sua divisão de Termotecnologia cresceu “fortemente” no ano financeiro de 2015, tendo registado um aumento de cerca de 7% nas receitas face ao ano anterior, para 3,3 mol milhões de euros.

“O nosso negócio apresentou uma excelente tendência em 2015”, declarou Uwe Glock. Segundo o presidente da divisão de Termotecnologia, o negócio do sector ganhou quota de mercado “na Europa Ocidental e do Sul, especialmente nos nossos principais mercados na Alemanha, Holanda, Reino Unido, Espanha e Áustria”.

Em comunicado de imprensa, o grupo alemão destaca que a Bosch Termotecnologia em Aveiro gere a unidade de negócio de soluções de água quente da divisão homónia, coordenando as actividades mundiais para esquentadores e bombas de calor, com o centro de competência na cidade portuguesa e demais fábricas na China e no México. “A empresa contribui fortemente para esse crescimento, nomeadamente com as caldeiras de parede e caldeiras de chão”, destaca o comunicado de imprensa do grupo.

“Lançámos uma gama completa de dispositivos em 2015”, refere Uwe Glock, explicando que estes são “conectáveis, fáceis de operar por toque no ecrã e até 30% mais rápidos de instalar”. De acordo com o responsável da Bosch, “estes dispositivos reforçam a nossa posição enquanto líderes mundiais no mercado de sistemas de aquecimento para edifícios residenciais e estabelece novos padrões para a nossa indústria”.

Relativamente a produtos, a empresa destaca que colocou no mercado, o ano passado, “o primeiro esquentador que se pode controlar à distância, via bluetooth, através de um smartphone ou tablet”. “É ainda a primeira gama de esquentadores termostáticos no mercado com interface de controlo táctil e display digital policromático”, continua o comunicado. Por sua vez, o novo portal “HomeCom” fornece aos instaladores informações detalhadas sobre os sistemas em rede dos seus clientes, incluindo interrupções e as suas causas potenciais.

De acordo com Glock, esta divisão está a fazer “bons progressos em cada um dos três segmentos” em que opera – sistemas de aquecimento em edifícios residenciais, aquecimento de água doméstica e sistemas de aquecimento e ar condicionado industriais e comerciais – e pretende “crescer mais que o mercado”. “É este o caminho que vamos continuar a seguir em 2016”, conclui.

Em comunicado, o grupo explica que a nova geração de produtos de termotecnologia se caracteriza pelo design e tecnologia orientados para o futuro. “A sua estrutura inovadora, modular e a disposição bem pensada dos seus componentes dão aos instaladores acesso fácil aos componentes individuais do interior do gerador de calor”, refere a mesma fonte.

Esta divisão da Bosch está também a ffazer bons progressos no domínio das aplicações comerciais e industriais de HVAC e, em Marlo de 2015, deu um “grande passo em frente” para se tornar um fornecedor internacional, ao acordar com a chinesa Midea CAC, a formação de uma “joint venture” na área dos sistemas VRF (fluxos de refrigeração variáveis) para aquecimento e ar condicionado de edifícios comerciais.

A produção em Hefei, na China, está prevista iniciar-se no final deste mês de Março. “A “joint venture” vai alargar o portfólio da Bosch Termotecnologia para sistemas de grandes dimensões, o que vai abrir oportunidades de crescimento no mercado internacional de HVAC”, destacou Uwe Glock.

Por sua vez, a nova unidade produtiva no México vai alargar a presença internacional da divisão de Termotecnologia da Bosch, “mantendo a estratégia de regionalização”. De acordo com Glock, “o México está a ganhar relevo enquanto local de negócio”. “A nova unidade fabril representa um passo importante na nossa estratégia de crescimento no mercado da América do Norte e para expandir a nossa posição de liderança no mercado doméstico de água quente como um tudo”, rematou.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *