Opinião: Que produto financeiro faz mexer o negócio das pequenas obras?

Por a 20 de Julho de 2016

Sérgio Pereira_ComparaJá.ptQuando toca a construir de raiz uma nova habitação ou a adquirir uma, todos sabem que crédito pedir junto ao banco. O crédito à habitação, dando a própria casa como garantia, é a opção mais popular e viável. Contudo, quando se trata de pedir crédito para fazer obras ou remodelações, a questão já fica mais nebulosa. Quais são as ofertas existentes no mercado? Quais os benefícios, condições ou características do crédito são mais relevantes para o cliente? Afinal, o que faz mexer este mercado? Há três opções em cima da mesa.

Em primeiro lugar, há instituições que oferecem crédito especializado para obras. Este tipo de crédito é especialmente direcionado, dizem-nos as instituições que o comercializam, a quem queira ampliar o espaço já existente em casa ou queira remodelar as divisões já existentes. Já há instituições como a Credibom ou a Cofidis a oferecer este produto, procurando atingir novos nichos de mercado. Mas a pergunta paira: é a única opção? Ou antes: é a melhor opção?

A única opção para financiar obras em casa recorrendo a crédito não é com certeza. Há outras formas de conseguir crédito para remodelar o lar como é o caso do crédito pessoal sem finalidade. Funciona em tudo igual ao crédito pessoal, ou seja, é um crédito ao consumo, mas quem o pede não necessita de especificar a finalidade do mesmo. Ou seja, pode-se pedir um crédito deste género e posteriormente aplicá-lo em obras na casa.

Além do crédito especializado e do crédito pessoal sem finalidade já referidos, existe ainda o crédito hipotecário. Esta opção pode ser atrativa para quem já possua um crédito à habitação e queira usar essa relação com o banco para conseguir uma nova “tranche” de empréstimo para financiar obras. Há condições que podem facilitar a negociação com o banco, nomeadamente o facto de ter dado uma entrada inicial generosa. Contudo, uma vez negociada essa opção junto do banco onde já possui crédito habitação pode conseguir uma série de vantagens. Por exemplo, pode ficar isento de algumas comissões.

Em suma, na hora de se fazerem obras na casa, há uma série de produtos no mercado de crédito que podem ser úteis. E nem sempre os créditos mais especializados são os melhores, assemelhando-se estes muito àquilo que já existe, por exemplo, no crédito pessoal. Há bastante informação que pode pesar na decisão de contrair este ou aquele crédito. Será que o cliente pode aceder a benefícios tais como poder fazer pagamentos antecipados? Está isento de certas comissões? Tem possibilidade de aceder a um período de carência de capital, onde durante um certo tempo só paga os juros? Que tipo de empréstimo permitirá aceder a taxas de juro mais competitivas? Haverá créditos que permitam aceder a outro tipo de benefícios, como por exemplo, seguros associados? Só comparando se sabe que se está a ganhar.

Para os “players” da indústria esta informação é sobremaneira pertinente e importante. Só conhecendo as ofertas existentes no mercado, se pode melhor informar o cliente de forma a este conseguir melhores negócios. O mercado da construção, como é sabido, não é um “habitat” fácil. Isso só coloca tónica máxima na necessidade e na importância dos agentes se informarem sobre todos os desenvolvimentos do mesmo. Há algo que devemos reter: no mercado, Informação é Poder. E, neste contexto, Poder pode ser tudo o que separa a sua empresa do sucesso.

Sérgio Pereira, director-geral da plataforma gratuita de simulação de produtos financeiros ComparaJá.pt

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *