Prémio Nacional de Reabilitação Urbana com candidaturas abertas para a 5ª edição

Por a 9 de Novembro de 2016

REABILITAÇÃO_URBANA Estão formalmente abertas as candidaturas ao Prémio Nacional de Reabilitação Urbana, iniciativa da Vida Imobiliária e da Promevi que promovem, até ao dia 10 de Fevereiro, a recepção de projectos e intervenções de reabilitação urbana.
A edição de 2017, que será a quinta, foi oficialmente apresentada durante a Semana da Reabilitação Urbana, no Porto, marcando o arranque do período de candidaturas que, desde 2013, representou mais de duas centenas de candidaturas. Este ano, podem candidatar-se projectos e intervenções de reabilitação urbana concluídos entre 1 de Janeiro de 2015 e 31 de Dezembro de 2016.
O Prémio Nacional de Reabilitação Urbana conta uma vez mais com o Alto Patrocínio do Governo de Portugal, concedido através da Direcção Geral do Património Cultural, entidade tutelada pelo Ministério da Cultura.
A 5ª edição do Prémio Nacional de Reabilitação Urbana apresenta várias novidades. Desde logo, o apoio institucional da SECIL à iniciativa, à qual a empresa se associa de forma ampla, comprovando o empenho que sempre teve no reconhecimento público da qualidade de obras e intervenções realizadas em Portugal, a exemplo da sua iniciativa própria, os Prémios Secil.
Também o júri se apresentará renovado na 5ª edição, contando com a integração do economista João Duque, que irá substituir Augusto Mateus; e do arquitecto Nuno Valentim, que integra o painel em substituição de Mendes Ribeiro. João Pedro Falcão de Campos, Manuel Reis Campos e João Appleton manter-se-ão no corpo de jurados que será responsável por decidir os vencedores do Prémio Nacional de Reabilitação Urbana, conhecidos na primeira semana de Abril, durante a Semana da Reabilitação Urbana de Lisboa.
Outra novidade é a introdução de uma nova menção honrosa para a “Melhor Reabilitação Estrutural”, que visa distinguir a melhor intervenção de preservação estrutural do edificado. Esta menção junta-se, assim, às menções de honra para a “Melhor Reabilitação Inferior a 1.000 m²”, “Melhor Intervenção de Restauro” e “Melhor Solução Eficiência Energética”, que se somam às principais categorias a concurso, nomeadamente nas áreas residencial, comercial/serviços, turismo e impacto social. Todos os anos é ainda atribuído o prémio especial do júri à Cidade de Lisboa, homenageando a melhor intervenção realizada na cidade anfitriã.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *