Câmara de Lamego vai investir 11M€ em projectos estratégicos

Por a 14 de Fevereiro de 2017

LamegoA Câmara Municipal de Lamego vai executar uma carteira de 16 projectos estratégicos na cidade, no valor de 11 milhões de euros, no âmbito do Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU). “Trata-se do maior investimento que esta autarquia fará nos próximos anos”, explicou Francisco Lopes, durante a sessão pública de apresentação de todos os pormenores do PEDU e do Plano Estratégico de Reabilitação Urbana (PERU). Este pacote de projectos de iniciativa municipal obedeceu a “condicionantes impostas” e enquadra-se em três eixos prioritários – regeneração urbana, mobilidade e apoio a comunidades desfavorecidas -, sendo financiado em 85% por fundos comunitários do Programa Operacional NORTE 2020.
“Durante quase 40 anos não tivemos plano de urbanização na cidade de Lamego. O desafio é, ora avante, que se façam coisas melhores e com objectivo estratégico, olhando para a cidade e para o casco mais antigo, que foi abandonado em detrimento das periferias”, fundamentou o autarca.
Assim, e até 2020, no âmbito da rubrica da mobilidade sustentável estão alocados 5,3 milhões de euros para desenvolver quatro projectos, entre os quais a criação de um corredor de transportes públicos de acesso ao centro da cidade (3,6 milhões de euros), a requalificação do eixo Macário de Castro (1,5 milhões de euros), a requalificação da rua Visconde de Arneirós que serve a Escola de Hotelaria e Turismo do Douro (800 mil euros) e, por último, o desenvolvimento de um sistema de abrigos inteligentes de informação e gestão de transportes, no valor de 450 mil euros. Para o segundo eixo prioritário – a regeneração urbana – a autarquia vai executar oito projectos num investimento global de 3,2 milhões de euros, nomeadamente a regeneração do Parque Urbano de Lamego, orçada em 2,39 milhões. A restante verba, será destinada à transformação do antigo Matadouro no Centro Cívico de Lamego (420 mil euros), a reabilitação da Torre dos Figos no Bairro do Castelo (350 mil euros), a reabilitação da Casa do Horto, também no Bairro do Castelo (300 mil euros), a regeneração do Largo dos Bancos (285 mil euros) e a aplicação de mais de 90 mil euros na dinamização do comércio tradicional, marketing urbano e agenda cultural.
Em Lamego, a rubrica de apoio a comunidades desfavorecidas terá disponível uma verba de 1,9 milhões de euros, que abrangerá quatro projectos: a requalificação do espaço público do Bairro de Nazes (1,2 milhões de euros), a reabilitação de um edifício para instalação do “Espaço Social de Lamego”, também no Bairro de Nazes (150 mil euros), a regeneração do espaço público do Bairro Social de Alvoraçães (600 mil euros) e a requalificação de um edifício para a instalação do Centro Social de Alvoraçães (250 mil euros).
Durante a sessão de apresentação desta carteira de investimentos, Francisco Lopes também destacou a relevância do PERU para o futuro de Lamego que garantirá a regulação da implementação das Áreas de Reabilitação Urbana (ARU) que vão beneficiar de benefícios fiscais para os particulares e empresas que pretendem avançar com operações de reabilitação.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *