Guimarães lidera consórcio de “Smart Cities”

Por a 22 de Fevereiro de 2017
guimarães

Fotografia: CMGuimarães

Um consórcio de “Smart Cities” milenares, liderado por Guimarães e do qual fazem parte outras seis cidades europeias – igualmente Capitais Europeias da Cultura e algumas também Património Cultural da UNESCO -, submeteu à Comissão Europeia, acompanhada por cartas de conforto do Primeiro-Ministro de Portugal e do Vice-Primeiro-Ministro da Lituânia, a candidatura do projecto DREAM cujo objectivo é promover o desenvolvimento e a produção de soluções urbanas inovadoras, ao abrigo do programa comunitário Horizonte 2020.

O consórcio tem como cidades parceiras Weimar (Alemanha), Salamanca (Espanha), Vilnius (Lituânia), Timisoara (Roménia), Dundee (Escócia) e Thessaloniki (Grécia) e, de acordo com a autarquia de Guimarães, “privilegia a partilha de conceitos, sistemas, modelos, métodos e processos de suporte à inovadora governança de cidades e regiões que incorporam a sustentabilidade urbana nos seus desígnios estratégicos, cumprindo um programa de partilha de ferramentas de gestão e planeamento, além de serem desenvolvidas candidaturas conjuntas a programas, iniciativas e propostas europeias”.

Factores como inovação, criatividade, projecção e sucesso, nomeadamente no que diz respeito a energia, mobilidade e ICT, são as principais características do projecto DREAM, que ambiciona contribuir para a criação de comunidades resilientes, com base na partilha de experiências e do conhecimento gerado através da implementação de projectos inovadores em cada cidade, numa ótica de desenvolvimento inteligente e sustentável. Para o efeito estão previstos projectos transformadores nas áreas da Energia, Espaço, Água, Clima, Iluminação, Conhecimento, Mobilidade, Dados (TIC), Emprego, Habitação, Resíduos e Pessoas.

Seguindo o paradigma das Smart Cities, as cidades participantes têm por objectivo demonstrar à escala real soluções inovadoras pré-comerciais de tecnologias de informação, optimização de infra-estruturas, mobilidade e eficiência energética, entre outras.

O projeto DREAM conta com o suporte de empresas, universidades e centros de investigação tanto ao nível nacional como europeu, permitindo uma resposta integrada e adequada a cada uma das realidades dos municípios. Da rede de stakeholders, destacam-se nos parceiros nacionais a PT Meo, Siemens, Schneider, Universidade do Minho, Altice, InescTec, Efacec, Universidade das Nações Unidas e IrRADIARE.

 

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *