OA recebe seminário “A realidade da reabilitação sísmica do parque edificado”

Por a 16 de Maio de 2017

reabA Sede Nacional da Ordem dos Arquitectos (OA) vai  receber, no próximo dia 8 de Junho, o seminário “A realidade da reabilitação sísmica do parque edificado”.

Este evento é organizado pela OA, pela Ordem dos Engenheiros, pelo Laboratório Nacional de Engenharia Civil e pela Sociedade Portuguesa de Engenharia Sísmica (SPES) e visa reflectir “sobre a actualidade da resiliência sísmica em Portugal, sob o ponto de vista das acções que se desenvolvem sobre o edificado”.

Com esta iniciativa, a organização pretende apresentar, em linhas gerais, as principais preocupações e trabalho em desenvolvimento das diferentes entidades que constituem o painel do seminário. Por outro lado, os organizadores consideram que há interesse em “debater lacunas ao nível da legislação, da formação de técnicos, da interligação institucional e multidisciplinar necessárias para acções futuras conjuntas que garantam a implementação de forma concertada das medidas necessárias, com vista à melhoria da resistência sísmica do parque edificado”.

2 comentários

  1. Silvia

    16 de Maio de 2017 at 17:48

    De acordo com o site, a Ordem dos Arquitectos vai receber o evento (e não a O.E):
    http://www.arquitectos.pt/sismica/

  2. Sousa Alves

    19 de Junho de 2017 at 14:51

    Saúda-se a participação conjunta das duas principais ordens dos Profissionais que sustentam e devem continuar a sustentar a identidade construtiva do País e bom seria que a Ordem dos Engenheiros não servisse de “pau de cabeleira” a uma Ordem dos Arquitectos que resolveu declarar guerra a TODOS os Engenheiros Portugueses…

    Ao ao reclamar para si todo o direito de autoria do “projecto base” de qualquer edificado os Senhores Arquitectos assumem já uma atitude descartável para os Engenheiros Civis no seu todo e que a prática confirma, infelizmente.

    Qualquer Engenheiro que assuma o princípio singelo de que a Arquitectura é para os Arquitectos, assim e sem mais, deve ser declarado “persona non grata” dentro da plataforma construtiva, porque esta “palavra de ordem da via única” tem sido oportunisticamente aproveitado por Arquitectos irresponsáveis e na base da máxima:”The limit,is the sky”.

    Está bom de ver que indo por esse caminho, será posta em causa a seriedade do processo construtivo, onde não se deve vender gato por lebre; seria um retrocesso na indústria da construção e o País não compreenderia o silêncio dos Engenheiros no seu todo…

    A acontecer um qualquer percalço na reposição, pelo menos, dos DIREITOS ADQUIRIDOS dos ENGENHEIROS CIVIS, devemos, então, deixar tais Criaturas nas asas dos seus sonhos sem rede e dizendo simplesmente: BASTA, isto para retribuir com a mesma face da moeda e por eles lançada, junto dos Senhores Deputados, na “Casa da Democracia”.

    Penso bem – perante um eventual contratempo no horizonte próximo! – que devamos então impôr um “back to basicks” (regresso às origens): vulgo Dec. Lei 73/73, devidamente regulamentado e face à falta de urbanidade assumida pelos Senhores Dirigentes da Ordem dos Arquitectos;qual paradoxo dos paradoxos, que nem sequer contou à altura com uma oposição eficaz dos Engenheiros representados na sua Ordem…!!!

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *