Ocupação de escritórios cresceu 40% em Lisboa nos primeiros quatro meses

Por a 17 de Maio de 2017

Lisboa-20140228-00082(3)O mais recente Office Flashpoint, da JLL, conclui que, desde o início do ano, até Abril, a ocupação de escritórios cresceu 40% no mercado de Lisboa face ao período homólogo.

Segundo a equipa de Office Agency da consultora imobiliária, o mercado de escritórios de Lisboa transacionou 54.054 metros quadrados nos primeiros quatro meses de 2017, período no qual foram concluídas 87 operações, com uma área média de 621 metros quadrados. De acordo com o estudo, em Abril, a absorção atingiu os 10.404 metros quadrados, um crescimento de 68% relativamente ao mesmo mês do ano transacto, e uma descida de 14% face ao mês anterior. No acumulado do ano, a JLL registou uma quota de mercado de 42%.

Do total das transacções concluídas no acumulado do ano, 23 correspondem a operações fechadas em Abril, “traduzindo uma área média transacionada de 452 metros quadrados”. No mês em causa, foram concluídas quatro operações, que envolveram áreas superiores a mil metros quadrados, nomeadamente a expansão de cerca de 3.300 metros quadrados do BNP Paribas na Torre Ocidente, a ocupação de 1.034 metros quadrados no Atrium Saldanha, por parte da Hiscox, a expansão de 1.005 metros quadrados dos escritórios da Regus no Lagoas Park, e a ocupação, pela Bose, de 1.042 metros quadrados no edifício Defensores de Chaves 45.

Para a consultora, estas transacções “evidenciam bem uma das notas mais positivas da actividade do mês de Abril, nomeadamente o facto de 75% da área ocupada ter correspondido a absorção líquida , motivada quer pela necessidade de expansão de área – 47% do total da ocupação mensal -, quer pela entrada de novas empresas na região de Lisboa – 28% do total. Em termos acumulados, a mudança de escritórios mantém-se como a principal motivação, correspondendo a 61% da área ocupada, com as operações de expansão de área e a entrada de novas empresas a pesar 26%e 14%, respectivamente.

No contexto geográfico, o Corredor Oeste permanece como a zona mais dinâmica do mercado de escritórios no primeiro quadrimestre de 2017 (30% do total), seguido do Prime CBD, com 24% do total acumulado. No mês de Abril, a liderança foi ocupada pela Nova Zona de Escritórios, com 32%, destacando-se ainda o Corredor Oeste, com 28%, e o CBD, com 21%.

Em termos de procura, o sector de serviços financeiros ocupa a liderança, responsável por 19% da área ocupada no acumulado e por 32% da área ocupada em Abril, “tendo sido mesmo responsável pela maior operação desse mês”. O pódio fica concluído com os sectores de TMT’s & utilities (18%), das farmacêuticas e saúde (17%), enquanto que, em Abril, os restantes lugares foram ocupados pelos sectores de serviços a empresas (21%) e outros serviços (17%).

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *