Porto Vivo considera instalar residência para estudantes no Morro da Sé

Por a 17 de Maio de 2017

portoA Sociedade de Reabilitação Urbana Porto Vivo admite seguir a proposta da Câmara do Porto para a instalação de um projecto de habitação num conjunto de edifícios no Morro da Sé, deixando cair assim a proposta para a instalação de uma unidade hoteleira naquela zona da cidade.
A instalação da residência para estudantes está há muito contemplada no plano de intervenção municipal para aquela zona e parece agora reunir um conjunto de consensos que poderão resultar em algo concreto.
As propostas foram manifestadas na última reunião de Câmara onde o presidente, Rui Moreira, admitiu que face às mudanças ocorridas na reabilitação urbana da cidade, e interesse crescente do mercado na reconstrução para a habitação no segmento alto e para o sector do turismo, a construção de mais um hotel no morro da Sé deixou de ser uma prioridade.
Rui Moreira defendeu que, face à conjuntura, no momento em que passar a ser exclusivamente municipal, a SRU deveria seguir o modelo do antigo Comissariado para a Reabilitação Urbana da Área da Ribeira/Barredo (CRUARB) e preocupar-se mais com o tecido social da zona histórica, garantindo o acesso a habitação a custos acessíveis numa zona em que o valor do metro quadrado reabilitado vem aumentando para valores inacessíveis à população da classe média e média baixa. Gente que, por outro lado, tem rendimentos que lhe vedam o acesso a habitação social. Uma tese que recolheu o apoio da oposição.

Um comentário

  1. João Robalo de Carvalho

    17 de Maio de 2017 at 16:11

    A zona do alto da Sé será mais adequada para residência de estudantes que propriamente para hotel já que estudantes podem ser potenciais divulgadores da cidade e esta irá beneficiar do bem “divulgação” por quem passou pelo Porto por uma temporada e das suas janelas ou varandas tinha vistas largas e interessantes.
    No outro lado do poente outro tipo de construção com os mesmos fins virada ao mar também não seria má ideia e já agora mais duas a sul do Douro, uma a nascente no alto da virgem ou nas proximidades e outra a poente da mesma forma também a sul.
    Pontos estratégicos devem ser ocupados por gente que pode contribuir para trazer mais valias sem mais custos à cidade pelo facto de ter passado por aquele ponto estratégico por um período da sua vida…

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *