Prémios FAD com 4 finalistas portugueses

Por a 19 de Maio de 2017

fad

Os Prémios FAD 2017 de arquitectura e decoração de interiores, já têm finalistas e na shortlist estão 4 projectos portugueses, em 4 das cinco categorias existentes.

Em arquitectura, o Centro de Convívio de Grândola, da autoria de Manuel e Francisco Aires Mateus, disputa o galardão com mais três obras. Sobre o projecto, o júri revelou ser: “Um volume monolítico abstracto, onde prevalece uma única cor em todo o edifício e a remoção de qualquer elemento ou pormenor figurativo”, fazendo referência a uma “subtracção da matéria que revela o espaço interior”. O júri sublinha ainda “o jogo formal do telhado que compõe a ideia fundamental do projecto em torno do qual todo o edifício se desenvolve”, e destaca a no espaço, classificado o edifício como “ousado e inovador”.

Na categoria de Decoração de Interiores, o projecto da loja Claus, no Porto, da autoria de João Mendes Ribeiro, partilha a shortlist com mais dois espaços. Sobre o projecto o júri entendeu que “a intervenção, de grande sucesso, dá exposição máxima e visibilidade aos produtos para venda, enquanto que contempla também uma lógica de arquivo, de recolhimento e de mistério”. O júri destacou a “sensibilidade que permite um diálogo entre os elementos existentes e novos que se entrelaçam e combinam com sucesso a função comercial e o uso cultural do espaço”. “A sofisticação gráfica e arquitectónica é evidente sem ser ostensiva”.

Na Categoria Intervenções Efémeras, “A Forma da Forma”, projecto de uma das exposições centrais da 4ª Trienal de Arquitectura de Lisboa, da autoria de Nuno Brandão Costa, Kersten Geers, David Van Severen, Sharon Johnston e Mark Lee, está a concurso com mais três projectos. Sobre este projecto, o júri evidenciou “a bela homenagem à arquitectura”, destacando a “interligação dos doze espaços como forma de encontro e diálogo, que representou também um elogio à diferença e à coabitação. No total, foi uma exposição cuja inteligência e sensibilidade eram marca evidente de Diogo Seixas Lopes, curador da exposição “.

Por último, em Pensamento e Crítica, o livro “Uma anatomia do livro de arquitectura”, de André Tavares (Dafne Editora), concorre com mais cinco obras. O júri considerou a obra “divertida, inovadora e bem pensada”

Os premiados serão anunciados a 29 de Junho, em Barcelona.

 

 

 

 

 

 

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *