Steel Talk debate reabilitação e harmonia arquitectónica no Porto

Por a 23 de Maio de 2017

reabA próxima conferência do ciclo Steel Talk vai debater a importância da reabilitação urbana no futuro das cidades e demonstrar os contributos da construção metálica para a recuperação do edificado.

A conferência, organizada pela Associação Portuguesa da Construção Metálica e Mista, em parceria com a Ordem dos Arquitectos, no âmbito do projecto Portugal Steel, realiza-se no próximo dia 27 de Maio, na cidade do Porto. Em nota de imprensa, a CMM ressalva que, “um terço dos edifícios portugueses estão degradados e precisam de intervenções de reabilitação urbana ao nível da recuperação e reutilização de recursos e equipamentos já construídos”.

Perante esta situação, torna-se “cada vez mais importante debater as várias soluções disponíveis”, continua a mesma fonte, explicando que a construção metálica é uma dessas opções, uma vez que as empresas do sector “estão dotadas de competências que lhes permitem dar uma resposta mais sustentável na reabilitação urbana, nomeadamente no que diz respeito à facilidade de adaptação às exigências das zonas urbanas com acessos e espaços reduzidos”.

Neste âmbito, as empresas de construção metálica podem encontrar na reabilitação urbana “uma forma de aumentarem o seu negócio internamente, num período em que a construção e obras públicas novas ainda se mantêm com um número aquém do expectável”.

“Paralelamente à estratégia de internacionalização e busca de mais e novos mercados, a CMM reconhece a importância que a reabilitação urbana do edificado pode ter nos próximos anos para o sector da construção metálica”, afirma Luís Simões da Silva. Segundo o presidente da CMM, “o elevado número de edifícios degradados nas grandes cidades exige uma resposta rápida”, uma situação que está “a ameaçar o ambiente paisagístico e a desvirtuar a harmonia arquitectónica dos centros históricos”.

Assim, a conferência “procura demonstrar o contributo da construção metálica, que é estruturalmente mais eficiente e mais leve, para o desafio da reabilitação urbana, e discutir as potencialidades do uso do aço na arquitectura, convidando os mais prestigiados arquitectos nacionais a fazerem conferências de divulgação da sua obra e produção teórica”, conclui Luís Simões da Silva.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *