APCOR promove cortiça em França

Por a 16 de Junho de 2017

cortica
Philippe Faure-Brac – considerado o melhor sommelier do mundo – é o novo embaixador da cortiça em França e assina uma campanha inédita na Vinexpo, a maior feira internacional de vinho, que decorre de 18 a 21 de Junho.

Esta acção na Vinexpo faz parte de um conjunto de outras iniciativas que a APCOR (Associação Portuguesa da Cortiça), vai levar a cabo naquele mercado, no âmbito do InterCork III – Promoção Internacional da Cortiça, e que têm como público-alvo os consumidores, os produtores e os profissionais de vinho.

Segundo a APCOR, o mercado francês é o principal importador de cortiça, com mais de € 178 M exportados em 2016 (+ 10% do que no ano anterior), e no qual o sector já investiu mais de €5 M em promoção e comunicação nos últimos 15 anos.

Recorde-se que o InterCork III é um programa de promoção internacional que, com um investimento de 7,8 milhões de euros, pretende reforçar a preponderância da cortiça em 10 mercados – EUA, França, Alemanha, Itália, China, Brasil, Espanha, Suécia, Dinamarca e Reino Unido – com campanhas diferenciadas em cada país. O programa InterCork é financiado pelo Compete 2020, Portugal 2020 e União Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional e conta, ainda, com o apoio privado dos associados da APCOR.

A Philippe Faure-Brac junta-se Gabriel Lepousez, especialista em neurociências e investigador no Instituto Pasteur, para juntos desenvolverem uma conferência sobre o papel das neurociências na prova de vinhos.  Para além destes dois especialistas de renome, a cortiça vai marcar presença na Vinexpo com uma escultura “monumental” em cortiça e que assinalará o ponto de encontro da feira, o ‘VinexpoCork Meeting Point’.

Nota ainda para o facto de, recentemente, terem sido divulgados os dados de um estudo desenvolvido pela Opinion Way naquele mercado, que refere que 87% associa a rolha de cortiça a um vinho de qualidade superior, comparando com 2% para os vedantes de plástico e 1% para as cápsulas de alumínio. O estudo revela, ainda, que 93% dos amantes de vinho franceses preferem a rolha de cortiça.

“A rolha funciona como um sinal de qualidade, que reflete a exigência do produtor, a qualidade do néctar e a promessa de uma degustação diferenciada” explica João Rui Ferreira, presidente da Associação Portuguesa da Cortiça (APCOR).

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *