DDN e Grupo DPSP formam parceria no Brasil

Por a 5 de Julho de 2017

engenheirosA DDN anunciou o início de uma parceria com o Grupo DPSP – Drogarias Pacheco/Drogarias São Paulo para a gestão e fiscalização da construção de novas drogarias, inseridas no plano de expansão do grupo brasileiro para a área de Recife, no estado de Pernambuco.

Segundo o comunicado avançado no website da DDN, o Grupo DPSP tem a segunda maior rede de retalho de farmácias no Brasil e á sétima maior rede de retalho do país, com 691 drogarias e uma facturação de 7 mil milhões de reais (1,8 mil milhões de euros). Com vista a consolidar o seu plano de expansão em Recife, o grupo optou por construir um mini-centro de distribuição – “Cross Docking” – para abastecer todas as drogarias implantadas na cidade.

Situado em Olinda, a 15 quilómetros de distância de Recife, o “Cross Docking”, com uma área total de 448 metros quadrados, ocupava a área de um armazém existente que, segundo a DDN, não tinha condições para ser reaproveitado. A execução deste projecto, avaliado em 600 mil reais (cerca de 160 mil euros) compreendeu a construção de um novo edifício em estrutura metálica, num prazo de 60 dias.

A DDN foi contratada para gerir e fiscalizar a execução, com especial atenção ao controlo da qualidade e controlo no cronograma, de forma a garantir a conclusão do projecto na data estabelecida.

No âmbito desta parceria, a consultora portuguesa foi também responsável pela gestão e fiscalização da execução de uma drogaria no bairro de Casa Amarela, em Recife. Esta loja dispõe de uma área total de 230 metros quadrados e o projecto, avaliado em 243 mil reais (64 mil euros) compreendeu a execução do piso, divisórias e acabamentos, bem como todas as redes de infra-estruturas.

A DDN foi ainda responsável pela gestão e fiscalização da construção de outra drogaria nesta cidade brasileira, na Avenida Conde da Boavista. Com uma área total de 300 metros quadrados, em dois pisos, a obra envolveu a execução do piso, divisórias e acabamentos, para além de todas as infra-estruturas. Com um prazo de 60 dias, a empreitada está avaliada em 195 mil reais (52 mil euros).

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *