Governo lança concurso para “super Hospital” em Lisboa por 300M€

Por a 2 de Agosto de 2017

À terceira será de vez? O Governo anunciou esta terça-feira o lançamento do concurso público para a empreitada de construção do novo Hospital Oriental de Lisboa, um investimento estimado em 300 milhões de euros que substituirá quase totalmente seis antigos hospitais, que estão no limite ou no final da sua vida útil.
O secretário de Estado da Saúde, Manuel Delgado, sublinhou que a nova unidade vai permitir a poupança de 68 milhões de euros que são gastos anualmente por causa de as instalações dos hospitais da zona central de Lisboa serem inadequadas e dispersas. “São ganhos importantes”, acrescentou.
Na apresentação pública da nova unidade, com inauguração prevista para 2023, o Secretário de Estado referiu que o Governo vai pagar uma renda anual ao operador privado de 16 milhões de euros.
A execução da empreitada será feita através de uma Parceria Público-Privada, permitindo que o Ministério da Saúde não tenha de fazer o financiamento inicial. O equipamento da nova infraestrutura, com material pesado e não pesado, será feito pelo Governo e representará um custo de 100 milhões de euros.

Absorver seis unidades
A nova infraestrutura vai absorver os serviços existentes nas seis unidades que fazem parte do Centro Hospitalar de Lisboa Central (Hospitais de São José, de Santa Marta, de D. Estefânia, Curry Cabral, dos Capuchos e Maternidade Alfredo da Costa).
O Secretário de Estado afirmou que as unidades instaladas em antigas infraestruturas conventuais são “claramente inadequadas para funções assistenciais nos tempos de hoje”, existindo “uma grande dispersão de edifícios”.
A isto junta-se a “inadequação técnica e em matéria de humanização e conforto para os doentes e para os profissionais» dos edifícios que resulta numa “larguíssima ineficiência na utilização de recursos”: “os custos por doente padrão neste centro hospitalar são 20% superiores aos custos dos outros hospitais centrais do País”, disse.
O Hospital de São José continuará a funcionar, mas como hospital de proximidade, com serviços de urgência básica, pequena cirurgia e cerca de 300 camas.

130 mil metros quadrados e 875 camas
O Hospital de Lisboa Oriental tem inauguração prevista para 2023, vai ocupar cerca de 130 mil metros quadrados e terá uma capacidade estimada de 875 camas. O edifício não deverá ter mais do que quatro andares à superfície e contará ainda com 2945 lugares de estacionamento, 1450 deles subterrâneos. O hospital terá “26 salas de operações, cerca de 113 gabinetes de consulta externa, mais 19 de reserva, 26 postos para quimioterapia, e terá uma inovação em matéria da radioterapia, com três aceleradores lineares num bunker, que poderá alojar ainda um quarto acelerador linear”, disse o Secretário de Estado.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *