Autarquia do Seixal avança com alternativa à EN10

Por a 7 de Setembro de 2017

A autarquia do Seixal solicitou reunião ao Ministro do Planeamento e Infraestruturas para construção urgente da Estrada Regional 10 e avança com a alternativa à EN10 até à Amora.
O autarca referiu ainda que “a Estrada Regional 10 será um dos principais vectores de mobilidade da margem sul, pois quando estiver concluída  ligará os concelho de Almada, Seixal, Barreiro e Moita, motivo que nos leva há anos a reivindicar a construção da mesma”.
Os presidentes das Juntas de Freguesia de Amora e Corroios reconheceram as mais valias desta estrada que beneficiará os munícipes de todo o concelho, uma vez que a Estrada Regional 10 permitirá também a ligação com a A2 e com a A33, constituindo um corredor transversal a todo o concelho e permitindo o acesso ao Barreiro, através da Ponte Rodoviária Seixal/Barreiro e consequentemente ao concelho da Moita.
Esta é já uma necessidade antiga colocada pelos munícipes, pelo que face à reconhecida importância desta estrada, salvaguardada com a reserva de espaço canal no Plano Diretor Municipal de cada um destes municípios desde 1993 e  integrando o Plano Rodoviário Nacional (PNR 2000) desde 1999, ou seja, há 18 anos.
A obra de execução da ER10 iniciou-se no concelho de Almada e teve continuidade no concelho do Seixal com a execução de uma 1.ª fase (troço entre o limite dos concelhos e a Quinta do Rouxinol, em Corroios, concluída em 2001, com investimento municipal de 2,2 milhões de euros.
Sendo uma intervenção da responsabilidade do Poder Central, e dado que os sucessivos governos não concretizaram esta via constante do PRN 2000, decidiu a Câmara Municipal do Seixal avançar em 2005 com uma 2.ª fase desta infraestrutura, dentro do concelho do Seixal, dando continuidade à mesma entre a Quinta do Rouxinol e a Quinta da Princesa.
Com um investimento de 6,6 milhões de euros para um prazo de execução de 9 meses, esta obra foi suspensa devido a questões relacionadas com a disponibilização dos terrenos necessários. No entanto, foram investidos cerca de 3 milhões de euros na obra concretizada, faltando cerca de 3,6 milhões de euros para concluir a intervenção, que deverão ser concretizados pela actual Infraestruturas de Portugal.
A Câmara Municipal do Seixal dispõe actualmente de todas as autorizações necessárias, bem como a disponibilização dos terrenos para que se avance com a obra e aguarda apenas que o Poder Central dê luz verde para concluir a obra.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *