Imobiliário “empurra” Construção para máximos dos últimos 9 anos

Por a 29 de Setembro de 2017

O primeiro semestre de 2017 bateu o recorde dos últimos nove anos, em termos de transacções semestrais de fogos habitacionais, tanto em número como em valor, de acordo com os dados divulgados pelo INE.

Segundo a informação agora conhecida e analisada pela Federação Portuguesa da Indústria da Construção e Obras Públicas, foram transaccionados em Portugal, nos primeiros seis meses de 2017, 72 mil fogos num montante total de 8,9 mil milhões de euros, reflectindo crescimentos de 18% em número e de 25% em valor, face ao período homólogo de 2016.

À semelhança do verificado nos últimos 4 anos, de 2013 a 2016, foi a venda de fogos já existentes (com crescimentos de 21% em número e de 31% em valor, levando a um aumento acentuado no volume de trabalhos de reabilitação/renovação) a principal responsável pelo forte dinamismo observado no primeiro semestre de 2017, já que as transacções de fogos novos apenas cresceram 4% em número e 6% em valor, até Junho.

Em termos regionais, foi a Área Metropolitana de Lisboa que concentrou, de forma destacada, a maior fatia das transacções efectuadas ao longo do primeiro semestre, 35% do total em número e 48% em valor, com crescimentos de 17% e de 29%, respectivamente, face a igual período de 2016.
A Área Metropolitana de Lisboa foi igualmente a zona onde o valor médio de transação por fogo foi mais elevada, 168,6 mil €, 10,2% acima do valor observado nessa região em 2016 e 36,6% acima da média nacional observada em 2017 (123,5 mil €/fogo).

Segmentos crescem
A estes significativos crescimentos do mercado imobiliário, juntam-se as variações igualmente favoráveis que se vêm registando nos restantes segmentos do sector da Construção, nomeadamente no mercado das obras públicas, com evoluções de +91% e de +83%, até Agosto, nos montantes dos concursos promovidos e dos contratos celebrados, respectivamente.

Do conjunto das evoluções descritas, resulta uma leitura positiva da evolução da Construção nos meses já decorridos de 2017. O INE confirma através da divulgação dos crescimentos homólogos da FBCF Construção e do VAB Construção, que durante o 1º semestre de 2017 (+9,6% e +7,5% respectivamente), constituindo, em ambos os casos, os crescimentos mais intensos nos últimos 20 anos para estas variáveis.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *