Expansão do Metro do Porto com 12 candidatos

Por a 17 de Outubro de 2017

Há 12 empresas ou consórcios interessadas em desenvolver os projetos para a construção das duas linhas de expansão da rede do Metro do Porto. O prazo para a apresentação de candidaturas à fase de pré-qualificação deste concurso público terminou a 16 de Outubro, tendo as propostas sido abertas esta terça-feira, anunciou a Metro do Porto em comunicado. O valor de referência para este concurso é de 4,7 milhões de euros. Fase/Ayesa, GEG, Tecnofisil, Edgar Cardoso, IDOM, LCW/Amber/Grid, NRV, TPF/Planege/Cenor, Prospectiva, Proengel, COBA/Viaponte/Gibb e Sener foram os concorrentes aprovados nesta pré-qualificação e estão, agora, habilitados a apresentar propostas para a elaboração dos projectos das novas linhas da rede do Porto: a Linha Rosa, que ligará São Bento à Rotunda da Boavista e o prolongamento da Linha Amarela, entre Santo Ovídio e Vila d’Este.
“Os candidatos podem concorrer a uma das duas novas linhas previstas ou as ambas, uma vez que este concurso público contempla dois lotes distintos”, destaca o comunicado. O lote relativo à Linha Rosa compreende a elaboração de estudos prévios, avaliação de impacto ambiental, obtenção de declaração de impacto ambiental e projecto de execução, sendo o prazo total de 330 dias e o preço máximo de 2,6 milhões de euros. Esta será uma ligação totalmente subterrânea, numa extensão total de 2,5 quilómetros. Fará a ligação entre a estação de S. Bento, a Cordoaria e o Hospital de S. António, a Galiza e o Centro Materno-Infantil até à Casa da Música e Rotunda da Boavista e terá quatro novas estações enterradas, da responsabilidade de Souto Moura, o arquitecto responsável pelo desenho da primeira fase do metro.
Quanto ao prolongamento da Linha Amarela, são 3,2 quilómetros de extensão que implicam a construção de três novas estações entre Santo Ovídio e Vila d’Este. Implica o desenvolvimento dos mesmos trabalhos de natureza técnica e ambiental, mas o prazo de execução é mais curto: o projecto e a declaração de impacto ambiental terão de ser apresentados 270 dias após a adjudicação. O valor máximo deste lote é de 2,1 milhões de euros. “Com o desenvolvimento dos projectos e dos procedimentos de avaliação ambiental a decorrerem ao longo de 2018, o lançamento dos concursos para as empreitadas de construção da Linha Rosa e da extensão da Linha Amarela sucederá no final desse mesmo ano, de modo a que as obras arranquem, no Porto e em Vila Nova de Gaia, nos primeiros meses de 2019 e venham a ficar concluídas em 2022”, destaca a Metro do Porto. Em conjunto, as novas linhas vão servir, diariamente, mais de 33 mil pessoas, sendo que o investimento global nesta fase de expansão da rede, incluindo os projetos, é da ordem dos 290 milhões de euros.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *