Dupla portuguesa nos finalistas do concurso de design da Roca

Por a 19 de Outubro de 2017

 A 7ª edição da competição internacional de design jumpthegap, organizada pela Roca em conjunto com a BCD Barcelona Design Centre, já tem vencedores. Mohammadreza Shahmohammadi (Irão), venceu na categoria Profissional, com “Panacea” – uma banheira elaborada num material elástico que permite ser adaptada a qualquer espaço”; Denis Lara Moluna (Espanha), venceu na categoria Estudante, com “Lambda” – esterilizador que limpa as mãos dos utilizadores através de uma luz de frequência curta, sem necessidade de usar água; e Michal Hondo e Kinga Grzybowska (Polónia), na categoria especial de Sustentabilidade, com  “Delta” – um chuveiro de portas extensíveis, com um desumificador integrado que transforma o vapor em água. A dupla de portugueses Diogo Cunha e Tiago Festa, ficaram entre os finalistas.

Mais uma vez, o evento reuniu finalistas de vários países e profissionais de design e arquitectura, entre eles, os membros do júri: Patrik Schumacher, director da Zaha Hadid Arquitects e presidente do júri; Isabel Roig, directora geral do BCD Barcelona Design Centre; Benedetta Tagliabue, directora do EMBT e da Fundação Enric Miralles; Josep Congost, director de design e inovação da Roca; Valentin Vodev, fundador da empresa VELLO, especializada em manufaturação e vendas de bicicletas e outros produtos inovadores de mobilidade; e Xavier Torras, director de comunicação e marca da Roca e director da Fundação We Are Water.

No inicio do evento, Patrik Schumacher, fez um discurso intitulado “Tectonismo. Engineering and Fabrication Logics as Stylistic Drivers”, em que deu o seu ponto de vista sobre o cenário actual e as perspectivas futuras do design e da arquitectura. Recorde-se que, o conceito jumpthegap talk são encontros com profissionais no activo do design e da arquitectura, que têm lugar em diferentes cidades do mundo no âmbito internacional do jumpthegap.

OLAIA

Os dois alunos da Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa foram finalistas desta competição, juntamente com participantes de outros países como o Irão, Turquia, Líbano, Hong Kong e Polónia.

Para a competição levaram o projecto OLAIA, um sistema composto por jactos de água e secadores automáticos que garantem a limpeza total da sanita. Um conceito que Diogo Cunha e Tiago Festa consideram “inovador, de uma sanita que coloca em primeiro lugar as necessidades humanas”, uma vez que, com um novo sistema tecnológico permite uma autolimpeza à sanita, deixando-a preparada para o próximo utilizador. “OLAIA une no mesmo objecto a sanita e urinol, sendo que é o utilizador que activa uma das duas opções”.

Sobre o projecto, a Roca refere que “apesar de estático aquando da sua utilização tem um botão que, quando pressionado, permite que a sanita mude de posição. É um botão de desbloqueio que liberta OLAIA. Apesar desta capacidade móvel, a descarga acompanha sempre a posição da sanita de modo a estar sempre conectada com o reservatório de água”.

“É um projeto inovador, uma sanita multifuncional que oferece um acesso facilitado às crianças e ajuda os mais idosos. OLAIA tem a particularidade de se adaptar, ajudando as pessoas idosas a levantarem-se e facilitando o acesso às crianças, graças à sua capacidade de adaptação ao utilizador”.

Criado em 2004 com o objectivo de apoiar jovens arquitectos e designers, jumpthegap é destinado a estudantes e profissionais até 35 anos e divide-se em duas categorias principais: Profissional e Estudante. O Prémio Especial de Sustentabilidade é entregue desde 2015, apresentado pela Fundação We Are Water.

 

 

 

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *