Anunciados os finalistas ao “Prémio CONCRETA Under 40/CIN”

Por a 10 de Novembro de 2017

Já são conhecidos os dez finalistas do “Prémio CONCRETA Under 40” – que conta com o patrocínio da CIN. Miguel Marcelino, Atelier do Cardoso, Summary, 3R Ernesto Pereira, Noz Arquitetura, Hérard & Da Costa, Luís Pinheiro Loureiro, DepA + Margarida Leitão, Corpo Atelier e Pedro Guedes de Oliveira, são os responsáveis pelos projectos selecionados.

A iniciativa da Exponor visa, a partir de uma obra construída, premiar um arquitecto, arquitectos a trabalhar em co-autoria ou um atelier de arquitectura. O vencedor e as menções honrosas serão anunciados na CONCRETA, que decorre na Exponor de 23 a 26 de Novembro, estando prevista para o dia 24 uma conferência com o autor do projeto escolhido.

O júri, presidido pelo arquiteto Nuno Brandão Costa e que integra ainda Carla Maia, directora da CONCRETA, Cristina Guedes (arquitecta), Diogo Aguiar (arquitecto e comissário da CONCRETA) e Paulo Nunes (responsável ibérico da área de prescrição da CIN), analisou as 21 propostas candidatas, deliberando sobre os critérios de qualidade arquitectónica, qualidade construtiva, qualidade tipológica e originalidade das soluções.

Recorde-se que o “Prémio CONCRETA Under 40/CIN” tem um valor monetário de dois mil euros e visa celebrar o trabalho desenvolvido em território nacional ou internacional por arquitectos portugueses, impulsionando desta forma as suas carreiras. O objecto do concurso passa por projectos de habitação, comércio, serviços ou equipamentos, incluindo obras de carácter efémero.

Destinado a arquitectos portugueses com idade inferior a 40 anos de idade até à data de 31 de Dezembro de 2017, este prémio pretende “ser um estímulo e um impulso para as carreiras mais jovens, cujas intervenções no espaço público começam a assumir relevância pelo arrojo e originalidade”, sublinha a organização do prémio.

Para Carla Maia, directora da CONCRETA e membro do júri, este prémio “é um contributo para o reconhecimento do trabalho que os jovens arquitectos têm vindo a desenvolver enquanto agentes de mudança do meio envolvente”, salientando que “tendo a CONCRETA uma forte componente centrada na arquitectura, é de todo legítimo que este galardão seja um dos pontos altos do certame, estimulando, ao mesmo tempo, o debate em torno de uma disciplina fundamental para a forma como entendemos o que nos rodeia”.

 

 

 

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *