Opinião: “Mudança de sabores”

Por a 15 de Novembro de 2017

Este ano a Gala dos Prémios Construir realiza-se num local que considero especial. Fomos nós, a equipa do Focus Group, que elaborámos o projecto de arquitectura e fizemos a gestão da obra daquele que é hoje o edifício sede da Microsoft em Portugal e que aliás já foi premiado numa das edições dos Prémios Construir.

Ao recordar o processo que levou à construção desse edifício, lamentavelmente não posso deixar de sentir um certo “sabor amargo” na memória. Pois apesar de termos elaborado o projecto antes do início da crise que arrasou o sector imobiliário em Portugal, a execução da obra acabou por coincidir com sua fase mais complicada, gerando enormes dificuldades tanto na gestão da obra com o empreiteiro e subempreiteiros, que passavam por enormes dificuldades, como no final da mesma, no diálogo com a Parque Expo entretanto desmembrada, com vista à obtenção da autorização de utilização.

Já aqui tenho dito que há que tirar as lições do passado recente e aplicar os ensinamentos colhidos nesses tempos de crise para que o futuro nos traga antes – apenas e só – o “sabor do sucesso”.

É um facto que, suportado pelo turismo e pela aquisição de habitações de luxo em Lisboa e no Porto, maioritariamente por estrangeiros atraídos por incentivos fiscais vantajosos, o mercado imobiliário em nessas cidades reanimou nos últimos dois anos.

No entanto, como também já o disse, em minha opinião a reanimação do setor, à boleia de uma economia em crescimento e com o desemprego a diminuir, só encontrará sustento se se apostar na diversificação do produto imobiliário, na dispersão no território, com algum investimento público complementar associado, mas sem esquecer as lições aprendidas.

Tenho procurado recomendar prudência aos nossos clientes quer nos pressupostos que usam na definição do investimento, quer no tipo de produto que pretendem colocar no mercado. Todos parecem querer repetir uma receita que aparenta ter tido sucesso para muitos, mas que poderá ficar saturada em breve. A diferenciação é fundamental.

A aposta nos edifícios de escritórios, como o da Microsoft, não começou ainda em força, provavelmente por ser um produto menos rentável no curto prazo. Contudo, é no médio e longo prazo que devemos projetar o futuro. E para isso há que proporcionar às pessoas e empresas que se queiram fixar e crescer no nosso país um produto de qualidade e diversificado.

Os Prémios Construir 2017 distinguirão, pelo 10.º ano consecutivo, projetos e profissionais nas áreas da arquitetura, da engenharia, da construção e do imobiliário, cujos trabalhos foram nomeados pela equipa do Jornal com base num conjunto de critérios, entre os quais se inclui precisamente a inovação, ficando nas mãos dos leitores do Construir a decisão sobre os vencedores.

Sempre entendi que premiar o mérito é fundamental para estimular os bons profissionais a fazer melhor e, também, a fazer diferente. Felicito, por isso, mais uma vez o Jornal Construir pela iniciativa e conto marcar presença nesta Gala, num local que inevitavelmente considero inspirador, para saborear o sucesso e brindar ao futuro do setor.

Nuno Malheiro da Silva, Arquitecto

Presidente do FOCUS GROUP

[email protected]

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *