Cosentino inaugura novo centro operacional em Miami

Por a 24 de Novembro de 2017
O Grupo Cosentino, inaugurou oficialmente a sua nova sede para o continente americano. Um espaço no coração de Coral Gables, em Miami, que vai centralizar a gestão e as operações da empresa multinacional no continente americano, englobando a América do Norte e a América Central e do Sul.

 Como explica o Grupo ao CONSTRUIR, “trata-se de uma coordenação global que vai ser iniciada numa das maiores redes comerciais e de distribuição atingidas por uma empresa espanhola do setor industrial no continente, em especial na América do Norte”.

Os novos escritórios centrais em Miami vão servir para gerir 51 Centers  ou armazéns de serviço integral (43 na América do Norte e 8 na América Latina), 4 Cosentino Cities ou centros de exposição, mais de 2 polos de distribuição e 12 unidades de transformação que a empresa multinacional possui nos EUA. Ao todo são quase 70 infra-estruturas próprias , “o que se traduz num significativo investimento em capital humano com aproximadamente 1400 trabalhadores no continente americano”.

Tendo em conta este nível de envolvimento e de forma a cumprir com os planos de crescimento da empresa, a Cosentino mudou a sede da Cosentino North America de Houston para Miami, uma mudança que tem em conta a acima mencionada gestão das alterações culturais e integrais no continente americano. Para além disso, sublinha a Cosentino, “Miami é não só uma das maiores e mais ricas cidades nos EUA, mas é também uma referência fundamental para os mais prestigiados arquitectos e designers no mundo, e oferece oportunidades de negócio importantes, assim como novos projectos”.
Nesse sentido, a Cosentino tem, agora, novos escritórios no famoso distrito de Coral Gables, que representa um investimento de mais de 2,5 milhões de dólares, com uma área total de 2,230 m2. A inauguração oficial da sede foi celebrada com um evento presenciado por vários clientes e prescritores da empresa, e foi presidido por Eduardo Cosentino, CEO da Cosentino North America e Global Sales EVP.
De acordo com Eduardo Cosentino, “isto é sem dúvida um dos marcos mais importantes do nosso trajecto na América. Muito mais do que uma simples mudança de sede, os escritórios em Miami que estamos a inaugurar hoje marcam uma mudança cultural e estratégica profunda na empresa. Daqui em diante seremos capazes de centralizar a gestão de forma mais eficiente para todo o continente, assim como melhorar a comunicação com a nossa sede em Almería. Estamos convencidos de que foi um grande passo em frente para as nossas operações aqui, e que é a melhor maneira de chegar ao nosso objectivo de crescimento contínuo nestes países e de fortalecer a nossa liderança na indústria.”
Em nota de imprensa enviada ao CONSTRUIR, a Cosentino explica que, as novas instalações reforçam a presença do Grupo na Florida, onde já tem 3 Centers e uma unidade de produção. A estes juntam-se a nova sede da empresa em Coral Gables, assim como a próxima Cosentino City, a quinta na América do Norte, que ficará localizada no Design District de Miami, e que tem a sua inauguração oficial marcada para o início do próximo ano. Tudo isto representa um investimento total de 11,5 milhões de dólares para a empresa, só neste estado.
O Grupo acrescenta que, a América do Norte continuará “a constituir-se como rampa de lançamento para as operações da multinacional no continente”. “É conveniente recordar que esta região representa 55% das vendas totais do grupo, e é onde grande parte das infra-estruturas e staff da Cosentino se encontram. Só nos últimos seis anos, a empresa quase que triplicou o número de Centers e armazéns nos EUA e no Canadá, passando de 17 nos finais de 2011 para os actuais 43. Esta evolução, tanto em termos de logística como em termos de capilaridade e excelência de serviço, tem sido acompanhado por um crescimento constante no que toca às vendas”, garante.

Para o actual ano financeiro de 2017, prevê-se que a Cosentino North America (EUA e Canadá) atinja uma facturação de 600 milhões de dólares. Junta-se a isto o facto de que o grupo se irá consolidar mundialmente, seguindo a terminologia americana, numa “One Billion Company”, tendo em conta que no ano passado o Grupo Cosentino chegou a facturar 993 milhões de dólares.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *