Sanitop aposta em “evento de proximidade” para clientes profissionais

Por a 6 de Dezembro de 2017

Sob a temática “Eficiência Energética e Hídrica”, a Sanitop promoveu a sétima edição do Fórum dedicado a profissionais e clientes da empresa, iniciativa que decorreu pela primeira vez na zona sul do País. “Foi sem dúvida um sucesso”, garante ao CONSTRUIR Johan Stevens, director geral da Sanitop, para quem “a alteração do formato do Fórum foi arriscada, mas os resultados são fantásticos”. “Juntar 500 profissionais, num local tão emblemático como é o Pavilhão de Portugal, é único e enche-nos de orgulho e satisfação”, revela aquele responsável, acrescentando que “todos os nossos parceiros, quer clientes, quer fornecedores e os nossos colaboradores, deram-me um feedback muito positivo e incentivaram para que este seja o modelo a seguir”.

Evento de proximidade
Assumidamente um evento de proximidade, trouxe ainda como novidade o maior foco nos profissionais, ao criar uma série de iniciativas de pendor mais técnico, nomeadamente as mais de 25 palestras, com as mais diversas temáticas. Com a participação de mais de 30 fabricantes reconhecidos no mercado nacional e internacional, Johan Stevens, director-geral da empresa, mostra-se orgulhoso e motivado com este novo formato. “Este novo Fórum, além de ter esse intuito de fazer a ponte entre profissionais e fabricantes, tem três grandes objectivos concretos: em primeiro lugar, pretende ser um evento de proximidade e, por isso, esta edição foi dirigida aos nossos clientes do Sul do País; outro dos objectivos passou pelo maior enfoque nos profissionais, com iniciativas de maior interesse para este público; e finalmente, quisemos torna-lo mais técnico, investindo na realização de mais palestras e demonstrações técnicas de produto”, garante Stevens ao CONSTRUIR, sublinhando que “esta foi uma aposta de sucesso”. “Tivemos mais de 25 palestras e todas elas tiveram adesão por parte dos participantes. Nos mais de 25 stands, a interacção foi constante. Quer para esclarecimento de questões fundamentais do dia-a-dia, quer para os fabricantes apresentarem as novidades para o nosso mercado e fazerem demonstrações técnicas das mesmas. Penso que foi enriquecedor para todos”, revela.

Leque alargado
Questionado sobre a possibilidade de o leque de representações poder crescer no futuro mais próximo, o director-geral da empresa admite essa possibilidade. “As tecnologias avançadas que promovam a eficiência energética e hídrica são fundamentais e prioritárias na seleção de novas representações dentro da nossa gama de produtos. Consciente de que temos já uma gama muito vasta de produtos, essa possibilidade de alargamento a novas marcas e até mesmo novos produtos, não pode, nunca, ser descartada”, revela Johan Stevens. “A introdução mais recente no que toca a área de produto foi a gama repair – essencialmente, peças para reparação e manutenção de equipamentos – e o material eléctrico. Ao nível de marcas, tivemos as nossas apostas, na área do ar condicionado, com a Panasonic, e, na biomassa, com a Solzaima”, diz, garantindo que esperam manter a atenção “às tendências e procura de mercado e a toda a tecnologia e inovação na nossa área, adaptando-nos às mesmas”.

Futuro
Sobre o futuro, Stevens acredita que este passa pela área da reabilitação, “associada a soluções eficientes, que tenham uma boa classificação energética. Com as novas normas europeias de classificação energética esta questão torna-se fundamental. As pessoas têm um maior acesso a este tipo de informação e procuram o melhor para garantir o seu conforto, poupança e um menor impacto ambiental”. Para o director geral da Sanitop, “nós queremos, não só, acompanhar as tendências e procura, como também, criar meios que proporcionem um maior suporte aos instaladores profissionais. Por isso, criámos aliás um novo conceito dentro da Sanitop: anexamos aos nossos pontos de venda, um showroom, onde o nosso cliente pode levar os seus clientes. Para já este conceito, designado de Estúdio Água, está presente em Lisboa e no Porto. Estamos já a analisar a possibilidade de novas localizações. Aqui, mantemos igualmente a nossa atenção às novidades”. “Além disto, penso que uma grande tendência passará pelas tecnologias ‘Smart’ – as ‘Smart Homes’ e a ‘Internet of things’ – que vão permitir o controlo dos equipamentos e, simultaneamente, de custos de consumo, contribuindo também para um aumento da poupança nas facturas mensais de fontes de energia e água”, conclui.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *