Antevisão 2018: “Muitas oportunidades estão disponíveis e devem ser aproveitadas”

Por a 20 de Dezembro de 2017

Texto: Jorge Bota, managing partner B. Prime 

Após um ano muito positivo para todo o setor imobiliário, 2018 deverá ser de continuidade, não se prevendo alterações dramáticas nesta atividade, tão relevante para a economia nacional.
Assim, entendemos que no setor do imobiliário comercial, deverá manter-se a dinâmica de procura em todos os segmentos (escritórios para arrendamento, lojas de rua, centros comerciais e espaços industriais e de logística). Também as operações de investimento, principalmente as de origem internacional, deverão manter-se ativas, apesar de uma maior prudência quanto às alterações das politicas financeiras do Banco Central Europeu e um crescimento nas taxas de inflação, que deverão refletir-se nas taxas de rentabilidade dos grandes investidores internacionais.
No segmento não comercial, as perspetivas são igualmente positivas. Tanto na área residencial com bons resultados em geografias mais nobres e agora também em zonas mais secundárias; como na hotelaria, onde a procura se mantém acentuada, o que tem valorizado as boas oportunidades disponíveis no mercado.
Desta forma, a promoção imobiliária e a reabilitação urbana deverão crescer, em 2018, com uma consequente recuperação das perdas registadas em anos anteriores, que não foram ainda totalmente superadas.
Existem por isso, razões muito fortes para manter o otimismo, relativamente ao setor imobiliário português, e desta vez, em todos os segmentos, embora com diferentes impactos. Tudo aponta para o aumento de projetos novos, de reabilitação, crescimento da procura e também dos preços.
Mais uma vez, será necessário que o mercado corresponda com oferta, para que se volte a ganhar algum equilíbrio, sendo que em algumas áreas especificas já se detetam sinais de alguma saturação; enquanto que noutras ainda há muito trabalho para fazer.
Para além de tudo isto, a banca quer nacional, quer internacional, tem vindo a mostrar mais disponibilidade para financiar o setor imobiliário, o que poderá ser uma oportunidade para os principais “players”. Este cenário deverá ser visível, no próximo ano, ainda que de forma tímida.
Em suma, 2018, perspetiva-se como sendo mais um ano positivo para o setor, que tem vindo a recuperar, no entanto encontra-se ainda distante dos anos pré-crise. Por isso, muitas oportunidades estão disponíveis e devem ser aproveitadas, pois as atuais condições poderão não se manter, por muito mais anos! 

Nota: O CONSTRUIR manteve a grafia original do artigo

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *