Reabilitação da sede do Banco de Portugal em conferência no CIUL

Por a 14 de Janeiro de 2018

O projecto de reabilitação do quarteirão ocupado pela sede do Banco de Portugal estará em destaque na conferência levada a cabo pelo arquitecto João Pedro Falcão de Campos, iniciativa integrada no ciclo de conferências do Prémio Valmor e Municipal de Arquitectura. A iniciativa, que decorre esta segunda-feira, pelas 18h, no Centro de Informação Urbana de Lisboa, é a segunda de um conjunto de quatro conferências, voltadas para a discussão e consequente visita às obras distinguidas com o Prémio Valmor.
O projecto de reabilitação e restauro da sede do Banco de Portugal, onde está instalado o Museu do Dinheiro, foi uma das obras reconhecidas na última edição do prémio.
Segundo o Banco de Portugal, o Prémio Valmor, atribuído pela Câmara Municipal de Lisboa, (um dos mais prestigiados prémios de arquitectura nacionais) “vem reconhecer a qualidade e a importância da obra promovida pelo Banco de Portugal no âmbito da revitalização da zona histórica da Baixa/Chiado”.
Os trabalhos de reabilitação e recuperação do quarteirão ocupado pela sede do Banco de Portugal, sob projeto dos arquitetos Gonçalo Byrne e João Pedro Falcão de Campos, decorreram entre 2010 e 2012. “As obras incluíram trabalhos de demolição, reforço de fundações, escavações e a harmonização arquitetónica dos oito edifícios que compunham o quarteirão ocupado pelo Banco de Portugal”, explica o banco central.
“O projecto permitiu ao Banco de Portugal honrar o compromisso que assumiu perante a Câmara Municipal de Lisboa de contribuir para a reabilitação da Baixa/Chiado, mantendo naquela zona histórica da cidade parte dos seus serviços e criando na antiga igreja de São Julião um novo espaço de fruição cultural, o Museu do Dinheiro, que foi recentemente distinguido pela Associação Portuguesa de Museologia como o “Melhor Museu do Ano 2017”, diz o Banco de Portugal.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *