Arquitectos alertam: Ampliação de lar em Portimão compromete projecto original de António Vicente de Castro

Por a 14 de Fevereiro de 2018

Crédito: Luísa Castro / OASRS

A Secção Regional Sul da Ordem dos Arquitectos alerta para as consequências dos trabalhos de ampliação do edifício do Lar da Criança, trabalhos autorizados pela Câmara de Portimão que vão “destruir, subverter e adulterar” o projecto original da autoria do arquitecto António Vicente de Castro.
A Ordem remeteu, ao município, uma exposição apelando à não legalização de obras existentes e do projecto de ampliação do edifício do Centro de Assistência Polivalente. “Contrariando as recomendações da OASRS e os apelos de outras instituições na área da preservação do património, a autarquia licenciou as obras clandestinas, realizadas e denunciadas desde 1999”, revelam os arquitectos.
A OASRS pretende “impedir a destruição, subversão e adulteração” do edifício, construído entre 1959 e 1962 e considerado, pelo Docomomo, como “uma obra de referência da arquitectura portuguesa no mundo”, “de valor inestimável” e “um exemplar da obra excepcional do arquitecto António Vicente de Castro”. Com o objectivo de “defender a sua preservação para a posteridade”, o Docomomo enviou à Direcção-Geral do Património Cultural (DGPC) o pedido de abertura de classificação do edifício, que está, segundo o que a OASRS apurou, “em processo de decisão” na Direcção Regional de Cultura do Algarve.
Em carta enviada em Setembro transacto à presidente da Câmara de Portimão, Isilda Gomes, à Comissão de Coordenação da Região do Algarve e à DGPC, a OASRS expressou “sérias e graves preocupações relativamente às intervenções clandestinas anteriormente realizadas, bem como ao projecto de ampliação solicitado pela actual Direcção do “Lar da Criança”.
Nessa missiva, a OASRS lembra que o edifício assinado pelo arquitecto António Vicente de Castro é “um exemplar da mudança histórica nas preocupações assistenciais nacionais e regionais”, símbolo de “um marco geracional de arquitectos” algarvios que tiveram um papel fundamental na “implementação da arquitectura moderna numa região onde predominava o conservadorismo”.
Para a OASRS, o complexo do Lar da Criança “é uma obra com múltiplas referências no panorama crítico da arquitectura moderna em Portugal” considerada um dos “poucos exemplares da Arquitectura Moderna de carácter social em Portimão”.
Apesar das reservas camarárias, a OASRS está disponível para dialogar com a autarquia no sentido da preservação do património arquitectónico em risco.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *