Fischer Portugal: “Vamos reforçar a aposta nos projectos de Engenharia”

Por a 7 de Março de 2018

O director geral da Fischer Portugal, João Fernandes, explica a importância do crescimento do mercado do “Do it Yourself” e como é que a empresa vai procurar responder a essa tendência.

Que balanço faz da passagem do Truck Tour por Portugal?
A Fischer Portugal faz um balanço muito positivo da primeira edição do Fischer Truck em Portugal, no qual atingimos um elevado número de participantes e identificamos resultados positivos tanto no apoio às empresas como na sensibilização do consumidor final.

Como chegaram à definição das três localizações do Tour no nosso País (Parque das Nações, Porto e Maia)?
Foi uma escolha criteriosa dentro do espaço temporal e localizações disponíveis. Assim, por razões óbvias, ou seja, por se tratarem de duas das regiões mais dinâmicas dentro do projecto Fischer em Portugal, escolhemos as cidades de Lisboa e Porto.
Não sendo fácil descentralizar neste tipo de eventos iremos, certamente no futuro, privilegiar outras cidades ou eventos nomeadamente feiras direccionadas à nossa área de actuação.
O “Truck” tem algumas exigências funcionais que são bastante interessantes de seguir, mas por vezes limitam o número de eventos e localizações.

Tendo que definir uma “estratégia” com base no que foi esta experiência, que mensagens é que o mercado (pelo menos esta franja do mercado) transmitiu e que pode ser importante para o vosso percurso?
Como habitual, o mercado absorve estes eventos de forma positiva e entusiasmada com especial interesse em formações técnicas e práticas que, por norma tem resultados surpreendentes em abordagens futuras e que são do agrado de quem nelas participa.
A apresentação de novos produtos e conceitos de mercado tem, no nosso entender, bastante aceitação nos actuais e futuros clientes.
No seguimento do anteriormente explicado apresentámos também o novo programa de cálculo “Fixperience”, inserido na criação do Gabinete Técnico especializado e que hoje é uma ferramenta fundamental na abordagem a novos e actuais projectos.
Resumindo, o que nos foi transmitido de forma bastante transparente é que a interacção Cliente/ Fornecedor é fundamental para percebermos e entendermos as necessidades e evolução do mercado.

O que se pode esperar para o futuro mais imediato, da relação da Fischer com os clientes, mesmo sem a presença do veículo em Portugal?

A nossa prioridade é, e será sempre, garantir a satisfação dos nossos Clientes e para isso aplicamos princípios de excelência num mercado altamente competitivo.
Nesse sentido e tendo em vista uma das nossas prioridades que é o Serviço, criamos em 2018 o “SAC” (Serviço ao Cliente) que funciona agora em Portugal, melhoramos o nosso nível de serviço (encomendas) acima dos 95%, e temos previstas várias acções para 2018 com vista à melhoria da relação com os nossos clientes.

No ano passado, a propósito da iniciativa da Fischer para a Imprensa na sua sede, em Waldachtal, percebemos que o mercado português era apresentado como tendo potencial para crescer, nos sectores de DIY (Do It Yourself) e em projectos de construção de infraestruturas. Qual vai ser a estratégia da companhia para responder a estes desafios e para aproveitar este potencial?

A estratégia para Portugal obedece cada vez mais ao “focus” em áreas distintas indo ao encontro das também diferentes, mas convergentes, áreas de negócio.
Relativamente ao “Do It Yourself” (DIY) ou “faça você mesmo” é uma tendência em expansão e a Fischer ambiciona conquistar e fidelizar os consumidores destes espaços comerciais aumentando “gama” e visibilidade nos mesmos. Este tipo de negócio regista um crescimento exponencial e tem características muito próprias, em que a qualidade é importante, mas o packaging e simples utilização dos mesmos são factores essenciais.
Sem dúvida somos um “bestseller” em vários Grupos de referência neste tipo de conceito e seremos num futuro próximo líderes de mercado graças à nossa capacidade de adaptação com vista à autonomia e satisfação do usuário final.
Por outro lado, uma área de grande investimento nos próximos anos são os Projectos de Engenharia. Com a criação de um Gabinete Técnico pretendemos prestar serviços na área da prescrição nas mais variadas vertentes que constituem o sector da construção civil.
Tinhamos uma “lacuna” nesta área já que a Fischer é a nível mundial uma empresa de referência nesta área e daí o nosso investimento no Gabinete que agora funciona localmente, enquadrando-se no “serviço de excelência” que queremos para Portugal.
Os nossos produtos de fixação para o chamado cliente “profissional” são de elevadíssima qualidade, com todos os requisitos técnicos e apoiados por um software de excelência: Fixperience! Este programa de cálculo é já um sucesso em Portugal.

Um dos grandes propósitos da Fischer para o investimento neste tipo de equipamentos é a proximidade ao cliente mas há também uma preponderância pela formação. Que importância tem a formação dos técnicos neste segmento de mercado?

A Fischer Portugal, seguindo a linha orientadora do Grupo tem e terá sempre a formação interna e externa como uma das suas prioridades.
O contínuo investimento num plano de formação para profissionais tem o propósito de dar a conhecer as boas práticas de aplicação dos produtos Fischer, resultando no aumento da qualificação técnica e eficiência no dia-a-dia dos profissionais da construção.
Para este ano, a Fischer lançou especificamente para Portugal e para alguns dos nossos clientes um plano de formações que envolve acções a nível interno e externo (que decorrerão na Alemanha e Espanha).
A vertente técnica está sempre associada à “essencial” demonstração prática dos nossos produtos ou seja, todas as acções decorrerão com estes dois Princípios: Teoria e Prática.

Assumiu a gestão da empresa em Portugal em 2015. Que balanço pode ser feito já deste percurso e que desafios tem pela frente?

As expectativas eram altas, os desafios enormes e as dificuldades mais do que muitas. No entanto, a superação de objectivos mantendo os valores e tradições da Marca, é reconfortante e encorajadora para o futuro.
Hoje somos Fischer Portugal novamente, filial oficial do Grupo, duplicamos o número de colaboradores, áreas de negócio estruturadas e estamos envolvidos em áreas específicas que nos dão garantias de futuro.
A constatação diária da satisfação crescente dos nossos parceiros e acima de tudo representar uma Marca com um potencial enorme a atingir patamares mais próximos da sua realidade a nível mundial são factores que nos fazem continuar a desenvolver este projecto com grande responsabilidade e motivação. Temos para este ano o objectivo de duplicar a facturação de 2015 e consecutivamente registar crescimentos consideráveis nos próximos anos, sempre acima dos dois dígitos. Ambicioso? Trabalhamos arduamente nesse sentido. Uma palavra final de agradecimento aos mais de 650 Clientes, parceiros e colaboradores da Fischer Portugal pela confiança que nos depositam diariamente.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *