Fundo Vallis aliena participação à Ramos Catarino

Por a 7 de Março de 2018

Aproximadamente dois anos após a sua integração no Fundo Vallis, a Ramos Catarino volta a ser gerida pela família Catarino, que chegou a acordo para a compra dos 75% que eram detidos pelo fundo de recuperação de empresas do sector em francas dificuldades financeiras. Com esta operação, o Vallis Construction dá por concluída a sua operação na Construção, depois de ter sido um agente ativo “na reestruturação de construtoras em graves dificuldades financeiras e operacionais”.
Em comunicado, o Fundo Vallis revela que a alienação, “dá uma oportunidade à família Catarino de continuar o ciclo de crescimento de volume de negócios e de carteira de obras iniciado em 2017″, um ano em que a construtora estabilizou as operações e “retomou a confiança dos clientes e parceiros”.
A entrada do fundo Vallis na Ramos Catarino distinguira-se dos casos anteriores (Edifer, MonteAdriano, Eusébios e Hagen) por manter a marca autónoma e traduzir uma parceria acionista – os anteriores donos permaneceram na estrutura acionista e com presença ativa na gestão. Recorde-se que desde 2013 que o grupo Catarino está a braços com planos de recuperação. O primeiro deles foi anunciado em finais de 2013, altura em que a administração do Grupo procurou “evitar que a situação económico-financeira se degrade, garantindo, atempadamente, o equilíbrio e a sustentabilidade da empresa”. O recurso ao PER foi uma forma encontrada na altura pelos responsáveis da Ramos Catarino para “reestruturar a empresa e acautelar os interesses dos seus clientes e fornecedores, mas também dos seus colaboradores”.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *