Casa do Design de Matosinhos recebe exposição em homenagem a Magistretti

Por a 12 de Março de 2018

 

O italiano Vico Magistretti (1920-2006), autor de peças como os candeeiros “Eclisse”, “Olusse”, “Atollo” e “Dalú” e da estante “Nuvola Rossa”, entre outras peças incontornáveis do design do século XX que continuam a ser bestsellers internacionais, vai ser homenageado na Casa do Design de Matosinhos através da exposição “Svicolando – Homenagem a Vico Magistretti”.

A mostra presta tributo aos 40 anos de carreira do designer italiano, expondo “de que modo os seus desenhos procuravam atingir a condição essencial dos objectos”, explica a Câmara Municipal de Matosinhos em nota de imprensa.

Organizada pelo Instituto Italiano Di Cultura, pela Fondazione Vico Magistretti e pelo consulado italiano do Porto, em colaboração com a Câmara Municipal de Matosinhos, a esad—Idea Investigação em Design e Arte e a ASCIP-Dante Alighieri, esta exposição itinerante foi apresentada pela primeira vez em Milão, em 2011 e passou recentemente pelo Centro Cultural de Belém, em Lisboa.

“Empenhado em pensar as coisas banais com um olhar diferente, Vico Magistretti desenhava objectos que rapidamente se tornavam universos complexos, contentores de vida, de memória e de gestos quotidianos, redefinindo a realidade que existe para além da realidade visível”, comenta a mesma fonte.

“Esta exposição explora o universo quotidiano de Magistretti, palpável nos espaços do seu escritório, hoje sede da Fundação Vico Magistretti. A exposição conta-nos uma história de projectos, de produtos e de encontros, com alguns dos mais iluminados produtores italianos. O pano de fundo é o seu escritório, lugar da sua criatividade, da desordem, dos fragmentos do seu quotidiano, onde pedaços de vida familiar se cruzam com ideias de projectos, números de telefone, imagens e sugestões figurativas e intelectuais”, explica Rosanna Pavoni, directora da Fondazione Studio Museo Vico Magistretti.

Perfil
Vico Magistretti nasceu em Milão, cidade onde se formou em arquitectura em 1945, tendo trabalhado como arquitecto, urbanista e designer industrial. O seu trabalho foi reconhecido pela primeira vez em 1948, com o Gran Premio da 8ª Triennale di Milano. Seguiram-se quase quarenta anos de trabalho e diversos prémios em várias áreas e países diferentes. Os objectos que desenhou, desde o mobiliário à iluminação, podem hoje ser encontrados por todo o mundo. Vários museus de design realizaram exposições em sua homenagem e mantêm exemplos de seu trabalho nas respectivas colecções permanentes.

A pesquisa de Magistretti foi contínua: no design, na cultura do projecto e na experimentação de materiais, nas soluções de espaço, forma e função, longe dos rigores da moda. Magistretti deu aulas e palestras em várias faculdades de arquitectura e escolas de design de Milão a Nova York, e de Paris a Londres, cidade a que é particularmente dedicado, sendo sócio honorário do Royal College of Art desde 1983.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *