Lisboa recebeu Prémios Internacionais da Saint-Gobain Placo

Por a 10 de Abril de 2018


A placa Habito foi uma das “estrelas” que a Saint-Gobain Placo promoveu em Lisboa, por ocasião da organização, em Portugal, da 11ª edição do Troféu Internacional Saint-Gobain Gypsum.
Pela capital portuguesa passaram centenas de convidados, nacionais e internacionais, que assistiram à entrega do troféu através do qual o grupo francês distingue, todos os anos, as melhores intervenções realizadas em gesso e reboco em todo o Mundo.
Através de um conjunto de demonstrações que tornaram evidente a resistência da solução, a Saint-Gobain Placo promoveu as novidades introduzidas na placa de gesso laminado que a companhia francesa quer tornar uma referência no domínio da construção sustentável. Resistência, fiabilidade e dureza são algumas das características apontadas pela companhia para promover a Habito, cujas especificidades permitem pendurar direitamente nela objectos de grande peso (móveis, sanitários, televisões, etc.) sem necessidade de ferramentas especiais, reforços ou elementos específicos de fixação. Resistência de carga, Isolamento acústico, fácil fixação e além da robustez e fiabilidade são algumas das características apontadas pela Saint-Gobain Placo.

Projectos específicos
Ao CONSTRUIR, o responsável comercial da Placo para o mercado nacional reconhece que um dos caminhos passa “pelos projectos mais específicos”. Carlos Nabais revela a expectativa de serem “parceiros de cada um dos arquitectos que contacta connosco. Eles, muitas das vezes, não são conscientes do que podemos desenvolver com eles. E, efectivamente, podemos”. Segundo aquele responsável, “curiosamente, das conversas que temos tido, muitos
dos arquitectos alteraram mesmo os seus projectos de modo a acolher, de forma mais eficaz, as nossas soluções”, reconhecendo o papel importante que teve, na divulgação e crescimento, a parceria estabelecida com a Trienal de Arquitectura.

“A experiência foi fantástica a todos os níveis, desde a exigência à dedicação, passando pelo retorno e pela dedicação de todos os parceiros da Trienal”, acrescenta. Sobre a importância da realização do evento em Portugal, Carlos Nabais reconhece que “é um privilégio para a organização em Portugal contar com esta iniciativa em Lisboa, não só por uma questão de notoriedade da equipa, de enaltecimento dos bons resultados”. “Um dos principais objectivos, desde há cinco anos, é desenvolver a notoriedade da marca.

Então, quando falamos da SaintGobain falamos de uma marca global, que é conhecida e que está muito ligada a unidades fabris que existem em Portugal, por exemplo, ligadas ao vidro, como a Covina. Mas não no gesso”, reconhece, recordando que “na década de 70 e 80 houve portugueses que foram para a Bélgica, Suíça e França e
trouxeram consigo a aprendizagem no ofício de plaquista, muito ligados ao papel da então Placoplatre”.
Projectos a concurso A edição deste ano reuniu mais de 450 profissionais do sector, que participaram em 87 projectos procedentes de 35 países de todo o mundo para competir em seis categorias diferentes (Tectos, Gessos,
Placas de Gesso Laminado, Inovação e Sustentabilidade, Residenciais e Não Residenciais). Os prémios concedidos este ano foram atribuídos aos instaladores e aplicadores de soluções em gesso de Saint-Gobain que souberam combinar o seu profissionalismo e criatividade na execução de incríveis projectos arquitectónicos, alguns deles construídos sobre estruturas históricas existentes.

Melhores obras
A ideia de recolher as melhores obras executadas com soluções em gesso, placa e tectos nasceu no ano 1998 em França. Assim, nesse ano foi celebrado em Paris o primeiro encontro de alguns países europeus para premiar a melhor execução a nível europeu. Na primeira edição, a obra apresentada por Espanha, o Museu Guggenheim de Bilbau, ganhou na categoria de Placa de Gesso Laminado. A partir desta data, decidiu-se comemorar um troféu a nível nacional para seleccionar a melhor obra executada com soluções de construção Placo. A reconstrução do vestíbulo da estação de Canfranc, declarada Bem de Interesse Cultural no ano 2002, ganhou o segundo prémio na categoria ‘Gesso’. Através deste prémio internacional, o grupo francês avalia todos os anos as melhores intervenções realizadas em gesso e reboco em todo o mundo durante 2017.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *