BNP PARIBAS e Grupo SIL desenvolvem projecto misto em Alcântara

Por a 24 de Maio de 2018

O BNP Paribas Real Estate adquiriu ao Grupo SIL o terreno em Alcântara, em Lisboa, num total de 74 mil m2 com vista a desenvolver um projecto imobiliário de uso misto. O gabinete de arquitectura Saraiva + Associados assina o projecto.

O projecto é composto por dois edifícios de escritórios, num total de 37 mil m2, e por várias unidades residenciais que representam igualmente uma área global de 37 mil m² e será desenvolvido no quarteirão onde se localiza o LX Factory, uma antiga fábrica têxtil, hoje reconvertida num espaço lisboeta que está na moda.

Este bairro, marcado pela presença de arte de rua, inclui restaurantes e bares com decorações originais, lojas de criadores, espaços de coworking dedicados a novas empresas e uma sala de concertos.
Em comunicado enviado ao CONSTRUIR, o BNP PARIBAS revela que este projecto, que vai ser desenvolvido com uma joint venture com o Grupo SIL, vem no seguimento da estratégia de internacionalização da actividade de promoção imobiliária daquela entidade bancária.  O montante  envolvido na aquisição do terreno não foi revelado.

“Através do lançamento desta operação em Lisboa, mais uma vez demonstramos de forma muito concreta as nossas ambições internacionais e, mais especificamente, a nossa vontade de prosseguir o desenvolvimento da nossa actividade de promoção imobiliáriana Europa, para a qual foram identificadas excelentes perspectivas em Portugal”,refere Thierry Laroue-Pont, presidente do Conselho de Administração da BNP Paribas Real Estate.

3 comentários

  1. Anne Demoustier

    25 de Maio de 2018 at 9:57

    É uma pena desaparecer o LX Factory sobretudo quando é para dar lugar a um projecto como este, sem graça nem interesse para a cidade.
    Como (quase) sempre são o dinheiro e os interesses de quem os têm que mandam. É pena…

  2. Carlos Martinho

    25 de Maio de 2018 at 17:07

    Mais um monstro à beira rio plantado.
    Ainda falam em devolver o rio à população.

    Colocam barreiras ao longo do Tejo.

  3. Vítor Guerreiro

    10 de Junho de 2018 at 7:39

    O LXFactory não vai desaparecer nada ao contrário do que alguém escreveu anteriormente, isso ou é mera falta de conhecimento ou então mais alguma simples vontade de mal dizer e criticar algo de muito positivo para Lisboa. Aquela zona é uma zona degradada e abandonada de Lisboa que aguarda há 25 anos p. Ao lado do LXFactory vai nascer uma zona moderna, de habitação e escritórios e o próprio LXFactory vai contribuir e beneficiar desta melhoria urbanística mantendo a sua génese e inclusivamente o LXFactory vai ficar menos escondido e mais exposto à cidade e menos fechado por entre muros como actualmente.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *