Proibição das lâmpadas de halogéneo em Portugal entra em vigor a 1 de Setembro

Por a 7 de Agosto de 2018

“O próximo dia 1 de Setembro de 2018 assinala uma mudança significativa para os lares portugueses com a transição a nível europeu para a iluminação LED, energeticamente mais eficiente, como a fase que se segue à proibição das lâmpadas de halogéneo”. O lembrete chega por parte da Signify, anteriormente Philips Lighting, que acrescenta que, “continuando o processo de descontinuação dos focos de halogéneo (ou GU10) implementado em 2016, a fase seguinte incluirá a proibição das lâmpadas de halogéneo não direccionais, incluindo as lâmpadas convencionais em forma de pêra ou vela”.

De acordo com a Signify, o motivo da proibição é “muito simples” e prende-se com o facto de serem “extremamente ineficientes na utilização da electricidade”. “As lâmpadas de halogéneo utilizam 10 vezes mais quantidade de energia do que as lâmpadas LED. A proibição da União Europeia faz parte do compromisso da UE de reduzir as emissões de CO2 e a sua pegada de carbono”, acrescenta a mesma fonte.

Dando como exemplo os seus produtos, a Signify explica que “as lâmpadas LED da Philips, duram até 15 vezes mais e utilizam até 80% menos de energia em comparação com as suas homólogas de halogéneo”. A empresa ilustra a afirmação com dados do INE que referem que, “ as lâmpadas de halogéneo são utilizadas em 22,4% dos lares portugueses e em termos médios correspondem a uma utilização de 7,6 lâmpadas por alojamento”.

A propósito dos futuros regulamentos que afectam as lâmpadas de halogéneo, Silvia Fernández, directora para a área de habitação da Signify em Portugal e Espanha afirmou: “A proibição gradual das lâmpadas de halogéneo demonstra o compromisso de toda a Europa com a poupança energética e a redução da nossa pegada de carbono. A mudança para a iluminação LED não só representa uma oportunidade para os agregados familiares beneficiarem de contas de luz mais baixas, como apresenta aos consumidores uma ampla gama de opções de cor, qualidade e design. A investigação da Signify demonstra que não existem duas casas que tenham ou desfrutem da mesma configuração de iluminação. A utilização e as preferências podem variar substancialmente entre divisões e casas. Os nossos produtos e tecnologias de iluminação LED reflectem estas particularidades e permitem aos consumidores adaptar a iluminação aos seus requisitos e preferências”.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *