Politécnico de Leiria aposta em curso dedicado aos Sistemas de Informação e Modelação do Espaço Urbano

Por a 8 de Agosto de 2018

O Politécnico de Leiria tem um novo curso técnico superior profissional (TeSP) em Sistemas de Informação e Modelação do Espaço Urbano, coordenado por o departamento de Engenharia Civil da Escola Superior de Tecnologia e Gestão (ESTG) do Politécnico de Leiria.

Esta nova formação, explica a instituição de ensino, “permite colmatar as necessidades de mercado de técnicos qualificados nas áreas da Construção, da Engenharia Civil, da Arquitectura, da Geografia e da Informática, capazes de gerir informação geoespacial e operar com plataformas digitais de modelação ligadas ao espaço urbano e de apoio à construção”.

A nova aposta do Politécnico visa “formar profissionais aptos a operar com as mais modernas técnicas de recolha de dados, como drones, laserscanning, etc., e plataformas digitais de modelação e simulação no domínio dos Sistemas de Informação Geográfica (SIG), assim como operação de Sistemas de Informação e Modelação da Construção (BIM)”, explica a mesma fonte em nota de imprensa enviada ao CONSTRUIR.

“Os novos desafios aliados às Smart Cities, Internet das Coisas, Web Mapping, manipulação de informação geoespacial, obtenção de imagens com recursos a drones e criação de modelos 3D virtuais, requerem técnicos com competências adaptadas aos novos desafios tecnológicos”, afirma Carlos Capela, director da ESTG.
“O novo TeSP conta com o apoio das empresas da região, que sentem a necessidade de recrutar profissionais com formação específica em Building Information Modelling (BIM) – uma metodologia colaborativa suportada por tecnologia 3D, que virtualiza um edifício ou uma infra-estrutura, e incorpora toda a informação existente e gerada ao longo do seu ciclo de vida”.

Samuel Delgado, CEO da empresa Solancis, explica que “a razão do investimento numa plataforma digital baseada no Building Information Modelling prende-se com a ambição de oferecer mais e melhor serviço aos clientes. Em contraste com a tradicional abordagem sectorial fragmentada, o BIM permite a partilha do modelo digital da estrutura entre o cliente, a sala de projecto e a obra. Esta interacção resulta na antecipação e a correcção de erros e omissões do projecto original”.

O Politécnico de Leiria garante que, no final do curso, os formandos estão aptos para planear, recolher, processar e gerir informação geoespacial, possibilitando a intervenção nas diferentes fases do processo de concepção, construção e manutenção dos empreendimentos do espaço urbano e articulação entre cliente, sala de projecto e obra.
O novo TeSP disponibiliza 20 vagas e a primeira fase de candidaturas decorre até ao dia 14 de Agosto.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *