Carmo Wood inaugura fábrica e aposta na segurança contra incêndio

Por a 21 de Setembro de 2018


A Carmo Wood acaba de inaugurar a sua nova unidade fabril de Oliveira de Frades, um ano após o incêndio que destruiu a maior e mais moderna unidade de produção do Grupo. 120 mil metros quadrados de lote industrial que foram agora recuperados, graças a um investimento de 20 milhões de euros inaugurado na presença do primeiro-ministro.
António Costa esteve em Oliveira de Frades e tomou contacto com as novas instalações, repartidas por oito modernos edifícios.
Jorge Milne e Carmo, presidente do Grupo Carmo Wood, revela que o investimento financeiro totaliza cerca de 20 milhões de euros, que incluem os investimentos de reposição em máquinas, edifícios e stock, só possíveis graças ao recurso a capitais próprios, ao apoio de seguradoras e à ajuda do governo, fornecida através do Programa REPOR – Sistema de Apoio à Reposição da Competitividade e Capacidades Produtivas.
Este investimento permitiu ainda a criação de um sistema próprio de combate a incêndios, desenvolvido em conjunto com os bombeiros da localidade de Oliveira de Frades. Este sistema integra 12 unidades com depósitos de água (capacidade de 12.000 litros), bombas de pressão a combustão, mangueiras de longo alcance, um depósito central com 120.000 litros de capacidade de água que servirá uma rede subterrânea de canalização resistente a altas temperaturas com bomba a combustão de alta potência e pressão que servirá várias bocas de incêndio. A empresa adquiriu ainda dois camiões tanque, um para a fábrica de Oliveira de Frades e outro para a fábrica de Pegões, e um avançado produto retardante, o FIRELIMIT FL-02, altamente inovador e usado para combate directo ao fogo. Paralelamente, foi dada formação aos colaboradores para operarem todo este sistema e reportarem às autoridades competentes.
Com projecto assinado pela Carmo Estruturas, empresa do Grupo Carmo Wood, a nova fábrica está mais moderna e optimizada, tendo sido construída, maioritariamente, em madeira. Jorge Milne e Carmo justifica esta opção dizendo que “as estruturas em madeira tratada demoram mais tempo a arder, ou a cair, comparativamente às de aço. Para além disso, a madeira é um material muito mais ecológico por ser o único material de construção que capta CO2 da natureza, ao contrário do betão, ferro e aço que emitem CO2 para a atmosfera, e é facilmente reciclável”. A capacidade de produção da fábrica aumentou para 250.000 m3 (face aos anteriores 150.000 m3) com a aposta em maquinaria mais avançada e moderna que permitirá acompanhar, as mais exigentes demandas dos mercados nacional e internacional.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *