Sabia que o IRC pode financiar os seus projectos?

Por a 3 de Dezembro de 2018

O IRC das empresas portuguesas, nomeadamente das empresas da área do imobiliário, pode ser dirigido para fundos de apoio a projectos de inovação e desenvolvimento. Esta alternativa de investimento foi discutida durante o XXIII Executive Breakfast Session, organizado pela APPII, em Lisboa, onde foi apresentada da empresa Blue Crow Innovation Fund que está a desenvolver esta forma de financiamento.

Qualquer empresa sediada em Portugal pode investir neste tipo de fundo, no âmbito do regime jurídico do Sistema de Incentivos Fiscais em Investigação e Desenvolvimento Empresarial, encaminhando o seu IRC para este investimento. São apoiados projectos de Inovação e Desenvolvimento (ID) validados pela Agência Nacional de Inovação (ANI).

Através do fundo Blue Crow Innovation Fund II (a 8 anos), a Blue Crow pretende captar cerca de 30 milhões de euros.

Bernardo Meira, representante da empresa, explica que este é um programa alternativo para os empreendedores, “sem sentirem o peso de uma venture capital ou private equity”.

Este fundo investe “num modelo de project finance”, envolvendo infra-estruturas no caso de alguns projectos, como o caso de uma maternidade de ameijoas apoiada pelo fundo, sendo a Blue Crow responsável pela construção das infraestruturas necessárias.

O fundo apoia vários projectos da área da alimentação sustentável, entre outras áreas, mas também o imobiliário pode ser elegível, por exemplo, a nível de projectos de novas técnicas ou materiais de construção, investigação, entre outros, desde que o projeto seja aprovado pela ANI.

As empresas podem escolher entregar a totalidade ou parte do seu IRC para o fundo. Apesar de este ser um investimento de capital de risco, 26,7% é “garantidamente devolvido, usado para pagar o juro da dívida e devolvido na forma de redução de capital pela Blue Crow”, explica o responsável. A empresa cobra 20% sobre o lucro do fundo, e o Estado 10% sobre a mais valia do fundo. O restante é devolvido à empresa investidora no final do período do fundo, além dos juros já devolvidos.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *