Savills identifica quebra no mercado de escritórios em Lisboa pelo segundo mês consecutivo

Por a 13 de Março de 2019


No mês de Fevereiro de 2019, o mercado de escritórios de Lisboa acentuou novamente uma descida no seu volume de absorção. De acordo com uma análise divulgada pela consultora Savills, o decréscimo de 39% face ao período homólogo do ano 2018 e de 45% comparativamente ao mês de Janeiro de 2019, não deixa margem para dúvidas e demonstra a dificuldade que o mercado irá sentir ao longo de 2019 para responder a uma procura que permanece em níveis elevados.
Rodrigo Canas, Agency Department Director da Savills Portugal afirma “estes valores não são de todo surpreendentes e reflectem as previsões lançadas no final do ano 2018. Encontrar soluções válidas de ocupação no timing pretendido pelas empresas será um dos maiores desafios para 2019, sem esquecer também o fato de que a escassez de oferta tem limitado muito a escolha de instalações, em termos de qualidade das mesmas. Importa também salientar que outras das tendências marcantes para 2019 serão os processos de renegociação, em resposta à falta de oferta no mercado”.
Ao longo do mês de Fevereiro de 2019 foram verificadas 9 operações, menos quatro operações do que no mesmo mês de 2018, numa descida de 31%. Em termos acumulados, o volume de absorção registado nos meses de Janeiro e Fevereiro de
2019, verificou uma descida de 34% comparativamente ao mesmo período do ano 2018, com o número de transacções também a observar uma quebra de 32%.
Numa análise aos valores de absorção acumulados por zona de mercado, observa-se que à excepção da zona 1 (Prime CBD) e zona 2 (CBD) que registaram subidas de 17,5% e 30% no seu volume de absorção, as restantes zonas observaram decréscimos de actividade. Apesar da falta de oferta, que atinge com maior expressão as zonas centrais (Prime CBD e
CBD), os resultados alcançados nos primeiros dois meses demonstraram uma preferência por localizações centrais, providas de uma rede completa de serviços, inseridas numa envolvente completa de serviços e que possibilita para muitas empresas a ligação a outros ecossistemas empreendedores ligados à tecnologia e inovação.
O sector de actividade Serviços Empresas foi inquestionavelmente o sector mais activo nos meses de Janeiro e Fevereiro de 2019, contabilizando 48% do volume total de ABL contratado (6.980 m2), seguido do sector das TMT´s & Utilities com 14% (2.007 m2).

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *