Torrestir vai avançar para nova sede em Braga

Por a 13 de Março de 2019

O Grupo Torrestir, especialista na prestação de serviços integrados de transporte de mercadorias, distribuição e logística, vai investir 10 milhões de euros na construção de uma nova sede em Braga.
Com uma área de 100 mil m2, o presidente do Conselho de Administração do grupo, Fernando Torres, explica que para além do espaço de armazém, zona de escritórios e das oficinas, 7 mil m2 são para cross-docking e 20 mil m2 destina-se ao serviço de logística.
O Grupo Torrestir facturou 200 milhões de euros no ano passado, o que representa um forte crescimento em relação a 2017, números que são explicados pelo crescimento das diversas áreas de negócio e, em grande parte, “à excelente performance dos mercados de Espanha, Alemanha e Moçambique», onde o grupo opera através das empresas Torrestir España, Torrestir Deutschland e Torrestir Moçambique”.
Durante o ano passado, a Torrestir manteve um ritmo positivo ao nível dos investimentos, com enfoque na sua frota, tecnologias e abertura de novas plataformas. De salientar que a última abertura decorreu no quarto trimestre de 2018, com a abertura da plataforma de Matosinhos. Com um total de 60 mil m2, dos quais 10 mil m2 dedicados ao cross-docking, este investimento rondou os 7 milhões de euros.
“As nossas plataformas estão estrategicamente posicionadas para servir de base à logística e à distribuição porta a porta e proporcionar um fácil acesso aos nossos clientes, para além de disponibilizarem excelentes condições para a logística integrada: armazenagem, manuseamento, “picking”, preparação da encomenda e distribuição”, adianta este responsável.
Em 2019, resultado do investimento constante da empresa, para além de outras apostas, o responsável avança ainda a informação sobre a abertura de um novo armazém no MARL, em Lisboa, com 3 mil m2 destinado à distribuição de produtos farmacêuticos e 5 mil m2 à logística de frio, num investimento total de 5 milhões de euros. Para a Torrespharma, distribuição de medicamentos, de salientar também o investimento em 50 semi-reboques de frio (temperatura controlada), totalizando 5 milhões de euros.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *