Ceetrus Portugal e The Edge Group apresentam “Cinco District”

Por a 14 de Março de 2019

O The Edge Group e a Ceetrus apresentaram esta quinta-feira o seu primeiro projecto conjunto, um investimento avaliado em 80 milhões de euros que contempla uma torre e edifícios de escritórios, um hotel, espaços verdes, comércio e uma praça para receber eventos.
Localizado em Carnaxide, o “Cinco District” tem uma área bruta de construção na ordem dos 38 mil m2, vem criar um local único para trabalhar, para viver e para estar. Entre vários factores distintivos, contará com uma icónica torre de escritórios de 80 metros de altura, jardins verticais e contará com a importante certificação de sustentabilidade ambiental dos edifícios – BREEAM – Building Research Establishment Environmental Assessment Method. Um dos pontos fortes desta iniciativa é o pré-acordo estabelecido com a cadeia Marriot para a abertura de um hotel quatro estrelas, “que complementará a experiência de poder viver num lugar único, pensado para promover relações de networking de empresas nacionais e internacionais”.
O investimento vai criar mais de 100 postos de trabalho e acolher 3000 colaboradores de empresas, associados à actividade das empresas aí fixadas. A comercialização do projecto está a cargo da JLL e Worx..
O “Cinco District”, desenhado pelo atelier Chapman Taylor, contempla a criação de uma torre e dois edifícios de escritórios com uma área bruta de construção de 38 mil metros quadrados.
Para o CEO do The Edge Group, o “Cinco District” representa uma abordagem diferente de trabalhar e fazer negócios na cidade. José Luis Pinto Basto sublinha que a tecnologia permite que as pessoas trabalhem a partir de qualquer lugar pelo que “os escritórios terão de se tornar locais mais atractivos para viver e ser vividos, promovendo a criatividade e a eficiência, através de um estilo de vida agregador”.
Mário Costa, CEO da Ceetrus destaca a tecnologia BREEM na certificação logo desde a fase de construção, permitindo que o “‘Cinco District’ se assuma como um projecto amigo do ambiente”

Um comentário

  1. Filipe

    14 de Março de 2019 at 14:40

    Mais um empreendimento a depender exclusivamente do automóvel. E é assim que se faz mobilidade em Portugal, enfim.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *