Oportunidades na África Ocidental em debate na Tektónica

Por a 6 de Maio de 2019

É uma das grandes novidades da Tektónica 2019, em co-organização com a AICEP e CAHSCI, no dia 10,  a feira de construção e obras públicas promove a internacionalização do sector da construção e explora as oportunidades no mercado nacional, através da Conferência Internacional com o tema “Oportunidades em Mercados de Expansão na África Ocidental”. O  enfoque serão as oportunidades de negócio no Senegal e Costa do Marfim, mas também países como Cabo Verde, Guiné-Bissau e São Tomé e Príncipe.

O Senegal e a Costa do Marfim são dos países mais prósperos da África Ocidental. O primeiro com uma taxa de crescimento, em 2019, superior a 5% e a Costa do Marfim devido ao desenvolvimento da produção e exportação de cacau e dos fluxos de investimento estrangeiro aplicados no país. O foco do governo centra-se na reconstrução de infraestruturas, sobretudo nos sectores da energia e dos transportes.

Depois de no passado mês, o Banco de Desenvolvimento da África Ocidental ter anunciado a aprovação de um financiamento de 60 milhões de euros para projectos de desenvolvimento na Guiné-Bissau, nomeadamente a reabilitação das infra-estruturas do país, outro dos exemplos representativos da procura dos países africanos no sector da construção, a Tektónica possibilita uma conferência com o objectivo de clarificar e dar a conhecer as oportunidades que as empresas portuguesas podem encontrar nos países mencionados.

Entre os oradores confirmados estão José Colaço da Grant Thornton International e keynote speaker da Conferência; um representante da AICEP; Pedro Gonçalves, director Financeiro da Mota Engil, empresa com uma vasta carteira de obras em países como a Costa do Marfim; Representantes de três entidades da Costa do Marfim, incluindo empresas de imobiliário e gabinetes de arquitectura; também já confirmado está Fodé Diop, presidente da Ordem dos Arquitectos do Senegal, Aliou Sow, empresário a convite da Câmara de Comércio do Senegal  e um caso de sucesso de um arquitecto português que trabalha no país, Luís Filipe Santos, da Atepa Partners.

A 21ª edição do certame, que se realiza de 8 a 11 de Maio, na FIL – Feira Internacional de Lisboa, em simultâneo com o Segurex, promove o debate e incentiva à internacionalização do sector, com empresas portuguesas em contacto directo e personalizado com expositores internacionais e ainda com a possibilidade de realizarem negócio com compradores internacionais, os Hosted Buyers, convidados da Índia e da Colômbia e também outros provenientes da Europa – Espanha, Reino Unido, Polónia e França –  e de África – Argélia, Senegal, Costa do Marfim e Angola.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *